Compra da Fitbit pela Google poderá ser investigada pela justiça americana

Tanto o regulador FTC como o Departamento de Justiça dos Estados Unidos estarão interessados em investigar a aquisição da Fitbit por parte da Google.

Segundo o jorna New York Post, as duas entidades pretendem saber que tipo de uso é que será feito da enorme quantidade de dados sobre saúde que a Google poderá adquirir com a compra da tecnológica.

Tendo em conta que o Departamento de Justiça já está a investigar os negócios da Google, nomeadamente em temas como a concorrência, a FTC aproveitará parte do trabalho para avançar na investigação.

A aquisição da Fitbit pela Google foi anunciada no início de novembro, com valores na ordem dos 2,1 mil milhões de dólares (cerca de 1,89 mil milhões de euros, à conversão atual). Na altura, a Google indicava que os dados recolhidos pela Fitbit, a partir de milhões de dispositivos para a área de fitness e saúde, não seriam utilizados para anúncios.

Leia também | Reguladores europeus ponderam medidas mais duras contra as big tech

No entanto, numa comunicação enviada à FTC, entidade que regula a atividade comercial nos Estados Unidos, organizações ligadas à área da privacidade pediam ao regulador para impedir o negócio. “Se a aquisição for concluída, a Google consolidará o monopólio de poder nos serviços baseados na Internet”.

Segundo dados revelados pela IDC esta semana, a Fitbit ocupa o quinto lugar entre as marcas de dispositivos wearable mais vendidas. No terceiro trimestre do ano, a empresa registou remessas na ordem dos 3,5 milhões de unidades.

A aquisição da Fitbit é a mais recente de vários investimentos da Google feitos na área dos wearables, através de compras. Em janeiro, a empresa gastou 40 milhões de dólares a comprar tecnologia para este tipo de equipamentos à Fossil, embora nenhuma das partes tenha detalhado que tipo de tecnologia era esta.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de