concorrência

Concorrência apresenta recomendações com ganhos de 380 milhões de euros

transportes

Autoridade mostra propostas de reforma legislativa pró-concorrenciais para profissões autorreguladas, como transportes e profissões liberais.

A Autoridade da Concorrência apresenta esta sexta-feira 730 recomendações que podem gerar ganhos de 380 milhões de euros por ano para a economia portuguesa. O regulador português, em parceria com a OCDE – Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico quer melhorar as práticas em 13 profissões autorreguladas, como os transportes e profissões liberais.

“Estas recomendações visam dotar o setor dos transportes e as profissões liberais de ambientes mais concorrenciais, eliminando disposições que restringem a concorrência, outras que representam encargos administrativos desproporcionais ou ainda disposições obsoletas”, assinala a entidade liderada por Margarida Matos Rosa em nota de imprensa.

Foram estudadas, ao todo, 13 profissões, profissões legais (advogados, notários, solicitadores e agentes de execução), económico-financeiras (economistas, contabilistas certificados, revisores oficiais de contas e agentes aduaneiros), tecnológico-científicas (arquitetos, engenheiros e engenheiros técnicos) e de saúde (nutricionistas e farmacêuticos).

Nos transportes, a Concorrência sugere a “abolição de todas as restrições de acesso e preços no mercado rodoviário de longa distância, a abolição dos requisitos relativos a garantias financeiras, de capital social mínimo, e requisitos de equipamentos e de trabalho impostos aos operadores de movimentação de carga, de reboque e aos agentes de navegação ou ainda a regulamentação da legislação aplicável à certificação dos maquinistas ferroviários”.

O sector dos transportes gerou 7,7 mil milhões de euros para a economia portuguesa, o que corresponde a 4,3% do PIB nacional. Dava emprego, em 2017, a 155 mil pessoas.

Nas profissões liberais, o regulador quer a “abertura a profissionais com diplomas universitários noutras áreas, a eliminação de restrições à propriedade, como nas profissões jurídicas, a abolição de restrições à multidisciplinaridade em sociedades, entre outras, igualmente significativas”.

Estas profissões, exceto as de saúde, geraram 4 mil milhões de euros para a economia nacional, o que corresponde a 2,3% do PIB português.

A Concorrência vai agora tratar da “promoção e acompanhamento da aplicação das necessárias reformas legislativas e regulatórias pró-concorrenciais, em estreita colaboração com todos os decisores públicos envolvidos”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: Global Imagens

Preço das casas já recuperou das quedas da crise

Joe Berardo

Processo de bancos contra Berardo já avançou

(Fábio Poço/Global Imagens)

Alojamento Local. Há 11 desistências por dia desde que nova lei entrou em vigor

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Concorrência apresenta recomendações com ganhos de 380 milhões de euros