Comércio eletrónico

Concorrência dá luz verde ao marketplace da Sonae e CTT

ecommerce

Regulador tinha sido notificado da operação a 19 de junho. CTT e Sonae querem investir entre 10 a 15 milhões nos primeiros dois anos do marketplace

A Autoridade da Concorrência (AdC) já deu luz verde à joint-venture entre a Sonae e os CTT para a criação de um marketplace, onde as duas empresas se preparam para investir até 15 milhões nos primeiros dois anos de operação.

O regulador tinha sido notificado a 19 de junho desta operação, tendo decidido em reunião de 19 de julho “adotar uma decisão de não oposição à operação de concentração (…) uma vez que a mesma não é suscetível de criar entraves significativos à concorrência efetiva nos mercados relevantes e relacionados identificados”.

Detalhes sobre o foco deste novo marketplace não são conhecidos. Os parceiros não revelam para quando antecipam um retorno de investimento, nem especificam em que área/produto o marketplace se irá focar. Este “será muito abrangente em termos de categorias de produtos”, disse fonte oficial ao Dinheiro Vivo.

A presença do Continente ou Worten, marcas Sonae com expressão no comércio online, no marketplace vai depender da estratégia definida pelas próprias empresas. “Os negócios Sonae (e por consequência, as suas marcas) são independentes e têm estruturas de gestão autónomas. Assim, poderão ou não integrar a plataforma caso considerem que esta apresenta uma proposta de valor alinhada com a sua estratégia, tal como qualquer outro retalhista/distribuidor no mercado”, referiu fonte oficial.

O marketplace, argumenta, junta parceiros com “competências complementares”. “A Sonae tem um conhecimento profundo dos consumidores portugueses e um know-how comprovado na gestão e desenvolvimento de iniciativas de retalho e de comércio eletrónico, aportando competências e experiência importantes para o sucesso desta iniciativa”, refere fonte oficial. Enquanto, que os CTT entra com o know-how logístico de entregas.

O comércio eletrónico é, de resto, uma das áreas onde o operador postal tem apostado, acreditando que isso poderá potenciar o segmento de correio de encomendas. Que tem estado a crescer, em contraciclo com o correio normal cujos volumes de tráfego têm vindo a cair nos últimos anos.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: Artur Machado/Global Imagens.

Donos de alojamento local contestam agravamento das tarifas da água

Miguel Pina Martins, CEO da Science4you.

(Nuno Pinto Fernandes/Global Imagens)

Science4you quer alargar prazo da oferta pública até fevereiro

(Carlos Santos/Global Imagens)

Porto de Setúbal: Acordo garante fim da greve às horas extraordinárias

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Concorrência dá luz verde ao marketplace da Sonae e CTT