Retalho Alimentar

Continente. 60% das marcas próprias são produzidas em Portugal

Hipermercado Continente

O Continente tem 4 mil referências de marca própria, que representam 30% das vendas

Iogurtes, detergentes, água, atum, massa, arroz, leite de marca Continente… São 4 mil referências e um das âncoras de vendas do Continente. “A marca própria representa 30% das vendas nas lojas Continente”, adianta Pedro Bruno, diretor de Marcas Próprias Sonae MC, ao Dinheiro Vivo. 60% das marcas próprias são produzidas em Portugal, adianta o responsável.

  1. Os produtos de marca própria é uma área onde a cadeia aposta há muito. Só este ano já lançou cerca de 300 novos produtos, ou seja, uma média semanal de 5 a 6 novos produtos. “Apenas no último ano, verificamos que 96% dos clientes do Continente compraram pelo menos um produto de marca própria. Além disso, quatro em cada dez produtos vendidos foram de marcas do Continente. Em termos globais, a marca própria representa 30% das vendas nas lojas Continente”, refere Pedro Bruno.

Mais de 60% das unidades de marcas própria vendidas são produzidas em fábricas portuguesas. A cadeia “procura trabalhar com fornecedores nacionais sempre que oportuno”, garante o responsável, destacando o trabalho com o Clube de Produtores Continente (com 200 membros, entre produtores e organizações de produtores) que, em 2017, representaram “um total de compras de cerca de 150 mil toneladas de produtos nacionais, no valor de 260 milhões de euros”.

E especificamente para a marca própria na área da padaria, a cadeia fechou em abril um contrato de fornecimento com seis operadores da fileira dos cereais para a compra de três mil toneladas de trigo português. “O que nos permite assegurar que todo o pão de trigo produzido nas lojas é de origem 100% nacional”, refere.

No caso do leite, 90% do leite vendido em marca própria é nacional, tendo sido até setembro comprados mais de 23 milhões de litros de leite português, valor que deverá subir até ao final do ano para os 30 milhões. “Face ao período homólogo do ano passado (setembro), o peso do leite nacional vendido passou de 84% para 90%, o que nos indica uma evolução muito positiva do peso da produção nacional no total do leite de marca própria. Neste sentido, prevemos um fecho do ano como evolução positiva em relação ao fecho de 2017”, adianta Pedro Bruno.

  1. No caso dos iogurtes marca Continente, as vendas até setembro também registam crescimento. Foram vendidos mais de 100 milhões de iogurtes feitos com leite nacional, fabricados em Portugal na fábrica em Castelo Branco. “O número de iogurtes vendidos até setembro de 2018 regista um ligeiro crescimento face ao período homólogo de 2017 e perspectivamos fechar o ano também com um crescimento face ao ano anterior”, refere o responsável da Sonae.

Redução de açúcar e gorduras nos produtos de marcas próprias

Com a redução do açúcar e das gorduras a centrar a atenção dos consumidores e indústria alimentar, como estes temas têm vindo a ser endereçados pelo Continente nos seus produtos de marca própria?

  1. Existe realmente uma preocupação crescente relativamente aos hábitos alimentares dos portugueses. Por esse motivo, demonstramos a preocupação de disponibilizar alternativas com valores nutricionais mais equilibradas, isto é, com menos gordura, açúcar ou sal – ou alternativas mais ricas – em fibra e cereais integrais, que através da gama Continente Equilíbrio, se diferenciam das propostas alimentares regulares, contando neste momento com cerca de 200 referências em mais de 20 categorias”, garante Pedro Bruno. “Apostámos recentemente na criação da marca Continente Bio que, contando já com cerca de 50 artigos em diversas categorias, procura responder a uma tendência crescente de consumo de consumo de alimentação saudável”, acrescenta, embora sem precisar valores números em termos da redução efetiva destes dois elementos.
  1. E há objetivos de redução adicional? “A nossa aposta no desenvolvimento de produtos com valores nutricionais mais equilibrados é sustentada na mudança dos hábitos alimentares dos consumidores e a tendência é que esta oferta possa crescer nos próximos anos. Em 2018, por exemplo, lançámos os Skyr líquidos Continente Equilíbrio”, diz apenas o responsável.
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho (D), e o secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita (E). Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Salário mínimo de 635 euros? Dos 617 dos patrões aos 690 euros da CGTP

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

Outros conteúdos GMG
Continente. 60% das marcas próprias são produzidas em Portugal