Continente arranca com rede de postos de carregamento elétrico

Rede terá uma cobertura nacional, com centenas de pontos de carregamento, e deverá estar concluído até ao final de 2021, diz o Continente.

O Continente arrancou em Matosinhos com o primeiro Plug & Charge que vai permitir o carregamento de veículos elétricos. No hub de Matosinhos foram instalados 18 pontos de carregamento, incluindo dois de carregamento rápido (50KW). Para a semana arranca com este serviço na Amadora.

A instalação de postos de carregamento para viaturas elétricas é um dos investimentos abrangidos pelo financiamento do Banco Europeu de Investimento e do European Fund for Strategic Investments, esclarece a cadeia de retalho alimentar da Sonae MC. Em janeiro do ano passado a Sonae MC anunciou a intenção de instalar cerca de 680 postos elétricos nos parques de estacionamento das lojas Sonae MC parte de um projeto da empresa para reduzir o impacto ambiental da sua atividade no retalho alimentar e para o qual obteve um empréstimo de 55 milhões junto do Banco Europeu de Investimento, com montante de financiamento elegível superior a 110 milhões, a realizar entre julho de 2018 e junho de 2022.

O serviço que arranca em Matosinhos é "reservado a clientes que descarreguem a app Continente Plug&Charge e a app Cartão Continente, permite carregar veículos elétricos com até 200km de autonomia em 1 hora, a partir de 0,01 euros/minuto - a tarifa dos carregadores rápidos é fixa, enquanto a tarifa dos carregadores normais depende da potência média utilizada por cada veículo, ou seja, do próprio carregador interno", explica o Continente.

"O objetivo deste serviço, que chegará também ao Continente da Amadora já na próxima semana, é ter uma cobertura nacional, com centenas de pontos de carregamento, garantindo uma distância máxima entre hubs de aproximadamente 100km e que deverá estar concluído até ao final de 2021."

Os detentores de Cartão Continente que realizarem compras superiores a 30 euros nas lojas poderão beneficiar de carregamentos gratuitos, com cerca de 35km de autonomia, refere a cadeia.

O arranque do projeto surge num momento em que várias cadeias de retalho têm vindo a apostar na instalação de postos de carregamento elétricos, caso da Auchan, Lidl ou Pingo Doce, bem como a intenção do Governo de tornar obrigatória a colocação de postos de carregamento em edifícios novos ou sujeitos a grandes renovações na área do comércio e serviços até ao final de 2024.

Todos os edifícios com mais de 20 lugares de estacionamento terão de instalar dois postos de carregamentos nas suas instalações, mas com algumas exceções, como instalações industriais, pecuárias ou agrícolas não residenciais; locais de culto, como igrejas, sinagogas, mesquitas e templos; armazéns sem presença humana por mais de duas horas por dia e os edifícios classificados ou em vias de classificação, segundo noticiou o Público.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de