Controladores aéreos: Aviação está em crise mas a NAV está a contratar

Empresa abriu concurso para seleção de candidatos. O prazo para a entrega de candidaturas decorre entre 1 de outubro e 2 de novembro de 2020.

O número de aviões no ar pode ser hoje - e manter-se por um período que ainda não sabemos delimitar - muito mais baixo do que antes da pandemia, mas continua a ser preciso quem os guie. Razão pela qual a NAV acaba de abrir concurso para recrutar mais de duas dezenas de controladores de tráfego aéreo.

Recorde-se que, neste verão, a NAV Portugal registou uma subida de 10 mil voos relativamente a julho, com um total de 34 mil em agosto, ainda que a comparação com agosto de 2019 se mantenha 55,1% abaixo e com julho de 2020 a cumprir menos de 33% dos voos orientados nos aeroportos portugueses nessa altura do ano passado.

"O procedimento visa escolher 24 pessoas para integrar o Curso de Formação Inicial de CTA que arranca em 2021, formação essa assente em quatro etapas. A saber: Curso de Formação de Base (4 meses); de Qualificação de Aeródromo (3,5 meses); de Qualificação Convencional (2,5 meses); de Qualificação de Vigilância (5 meses)", informa a empresa de navegação aérea.

A NAV conta hoje com 354 controladores de tráfego aéreo, mais oito do que em janeiro, justificando o atual recrutamento com o planeamento para 2020/2024, "de acordo com o Plano Previsional de RH da empresa e as necessidades estimadas para o controlo do tráfego nos 5,8 milhões de km2 de céu" geridos pela empresa, nos aeroportos de Santa Maria, Ponta Delgada, Horta, Flores, Funchal, Porto Santo, Lisboa, Porto, Faro e Cascais.

O prazo para a entrega de candidaturas decorre entre 1 de outubro e 2 de novembro de 2020 e entre os 24 candidatos que conseguirem ser selecionados, aqueles que concluírem com sucesso a formação obterão uma licença de instruendo CTA, sendo de seguida colocados nos serviços de controlo de tráfego aéreo da NAV, de acordo com as necessidades da operação.

"Nessa fase, os então estagiários terão ainda de passar por uma formação exclusivamente dedicada às especificidades da operação no local onde foram colocados, etapa que tem uma duração média de 6 meses", esclarece ainda a NAV, concluindo-se o processo com a assinatura do contrato profissional como controlador aéreo. São, portanto, dois anos decorridos normalmente entre o arranque do curso e o contrato assinado como controlador aéreo, um percurso em que a NAV conta com o envolvimento de 60 formadores e investe cerca de "80 mil euros por instruendo".

O que é preciso para ser controlador aéreo?

A exigência de formação prévia em Engenharia não passa de um mito. Em termos académicos a única exigência para concorrer à NAV é ter um total de 180 ECTS (Unidades de Crédito do Sistema Europeu de Transferência de Créditos) cumpridas de uma licenciatura, independentemente da área.

De resto, há uma idade mínima de 18 anos e máxima de 27 cumpridos até ao dia 31 de dezembro de 2020, necessidade de atestado médico classe 3 e atestado de acuidade visual e pedem-se competências linguísticas de domínio oral e escrito de português e inglês, bem como características pessoais como "idoneidade, condições psíquicas e aptidões técnicas necessárias para o exercício das funções de controlador de tráfego aéreo". Saiba mais sobre o concurso aqui.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de