correios

Correios espanhóis entram em Portugal com compra da Rangel Expresso

Encomendas

É o primeiro negócio internacional da empresa de correios espanhola, que quer 51% do capital da empresa de entregas expresso do grupo português.

A Correos, a empresa pública espanhola de correios, vai mesmo entrar no mercado português. Esta entidade pretende adquirir 51% do capital da Rangel Expresso, que pertence ao grupo Rangel, segundo um aviso publicado esta sexta-feira pela Autoridade da Concorrência na imprensa portuguesa. Formalmente, o negócio ainda terá de ser validado pelo Governo espanhol, porque a empresa é totalmente detida pelo Estado.

“A operação de concentração em causa consiste na aquisição, pela Correos Express Paquetería Urgente, de 51% do capital social da Rangel Expresso, detida e controlada, direta e indiretamente, pela Espera Investments. A CEX e a Espera deverão passar a deter o controlo conjunto da Rangel”, refere o aviso publicado esta sexta-feira.

Contactada pelo Dinheiro Vivo, fonte oficial do grupo Rangel escusou-se a adiantar mais comentários nesta altura. A chegada dos Correos a Portugal, no entanto, terá ainda de ser formalmente aprovada pelo Governo espanhol, em Conselho de Ministros, que se reúne todas as sextas-feiras.

A Rangel Expresso conta com uma frota de mais de 200 veículos em Portugal e tem mais de uma dezena de centros de distribuição em território nacional.

A entrada da empresa Correos em Portugal foi anunciada no final de janeiro pelo presidente da Correos, Juan Manuel Serrano, num encontro com a imprensa em Madrid. Os espanhóis pretendem entregar uma encomenda no prazo de 24 horas em qualquer ponta da Península Ibérica, de acordo com informação adiantada no dia 11 de março pelo jornal El País.

Com esta entrada, o operador postal espanhol entra num segmento onde opera igualmente operadores como a DHL, a Chronopost ou os CTT, com estes últimos a liderar o mercado.

A empresa espanhola pretende ainda expandir o negócio de correios para o mercado do Sudeste Asiático.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Caixa Geral Depósitos CGD Juros depósitos

Caixa perdeu 1300 milhões com créditos de grandes devedores

Ursula von der Leyen foi o nome nomeado para presidir à Comissão Europeia. (REUTERS/Francois Lenoir)

Parlamento Europeu aprova Von der Leyen na presidência da Comissão

Christine Lagarde, diretora-geral demissionária do FMI. Fotografia: EPA/FACUNDO ARRIZABALAGA

Christine Lagarde demite-se da liderança do FMI

Outros conteúdos GMG
Correios espanhóis entram em Portugal com compra da Rangel Expresso