retalho

Cortefiel prevê 100 novas lojas. Portugal está incluído

Paulo Jorge Magalhães / Global Imagens
Paulo Jorge Magalhães / Global Imagens

Marca abandonou aposta no segmento jovem e voltou a focar-se em moda para adultos

A Cortefiel prevê a abertura de 100 novas lojas em 2017, incluindo em Portugal mas também noutras geografias, segundo o El País.

A marca de roupa decidiu abandonar a aposta no segmento jovem, definida no final de 2015 e que visava aumentar as vendas através do rejuvenescimento dos clientes, devido à pressão de grupos como a Zara, a H&M ou a Primark.

O administrador-delegado da marca espanhola, Jaume Miquel, admitiu que a estratégia “foi um erro”. A marca voltou assim a focar-se no cliente adulto, com cerca de 45 anos, disponibilizando peças mais séries e com melhor qualidade e menor foco no preço.

A mudança de estratégia da Cortefiel e da Pedro del Hierro, o grupo que também gere as marcas Woman’s Secret, Springfield e o outlet Fifty Factory) arrancou em março do ano passado e o impacto já se nova nos números apresentados pela empresa, com um reforço do EBITDA, apesar do impacto dos custos de reorganização.

A facturação do grupo, em 2016, aumentou 3,12% para 1,12 mil milhões de euros, com destaque para os resultados brutos de exploração, que melhorou 6,7%.

O plano para 2017 inclui a abertura de 100 lojas em todo o mundo, entre 50% de franquias e lojas próprias, com especial interesse em Espanha, Portugal, Rússia, os Balcãs e o México.

O grupo, detido por três fundos de investimento, também está em processo de venda, que deverá terminar em março de 2018.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Ministro das Finanças, Mário Centeno, na apresentação do Orçamento do Estado para 2019. 16 de outubro de 2018. REUTERS/Rafael Marchante

Bruxelas envia carta a Centeno a pedir o triplo do esforço orçamental

lisboa-pixabay-335208_960_720-754456de1d29a84aecbd094317d7633af4e579d5

Estrangeiros compraram mais de mil imóveis por mais de meio milhão de euros

João Galamba (secretário de estado da energia) , João Pedro Matos Fernandes (Ministro para transição energética) e António Mexia  (EDP) durante a cerimonia de assinatura de financiamento por parte do Banco Europeu de Investimento (BEI) da Windfloat Atlantic. Um projecto de aproveitamento do movimento eólico no mar ao largo de Viana do Castelo.
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Mexia diz que EDP volta a pagar a CESE se governo “cumprir a sua palavra”

Outros conteúdos GMG
Cortefiel prevê 100 novas lojas. Portugal está incluído