Consumo

Costa. “Quando temos um Nabeiro, não precisamos de nenhum Clooney”

O primeiro-ministro, António Costa (E), e o Comendador Rui Nabeiro (D), durante a apresentação da estratégia global de sustentabilidade do Grupo Nabeiro – Delta Café. (NUNO FOX/LUSA)
O primeiro-ministro, António Costa (E), e o Comendador Rui Nabeiro (D), durante a apresentação da estratégia global de sustentabilidade do Grupo Nabeiro – Delta Café. (NUNO FOX/LUSA)

“Quando temos um Nabeiro, não precisamos de nenhum Clooney”, disse António Costa, primeiro-ministro, durante o encontro sobre sustentabilidade da Delta, hoje na Estufa Fria, em Lisboa.

O responsável do Governo destacou o papel da grupo Nabeiro na dinamização da economia portuguesa, no mesmo dia em que foram conhecidos os dados do primeiro trimestre sobre a evolução da economia: uma subida de 1,8% em relação ao trimestre homólogo do ano passado e de 0,5% em cadeia. Um desempenho que contrariou as previsões económicas, destacou Costa. “No primeiro trimestre a economia acelerou e voltou a crescer acima da média da zona euro e da média europeia”, frisou o primeiro-ministro. O PIB da zona euro cresceu 1,2% e a média europeia 1,5% em termos homólogos, segundo dados do Eurostat.

Muito por conta do investimento que as empresas realizam, “porque confiam no presente e tem boas perspetivas para o futuro”.

Campo Maior, terra onde nasceu o grupo, tem cerca de 1500 habitantes, ora “se por cada 8500 portugueses houvesse um Nabeiro, teríamos 1200 Nabeiros e 1200 grupos como a Delta. E se tivéssemos isso a economia nacional não crescerá só acima da média europeia, a nossa economia transformará o nosso país em algo que é fundamental, extraordinário e sustentável”, acredita.

António Costa também referiu o apoio da Delta ao ecossistema startups. “As startups não são só apps”, frisa. “A semente está na terra e a Delta está a ajudar a semente a nascer”, diz.

O grupo Delta está a apoiar uma startup que usa borras de café para produzir cogumelos, a belga Nãn, localizado no Largo do Intendente, em Lisboa. O projeto que é exemplo de economia circular, comenta bem-humorado o primeiro-ministro. Quem diria que o Largo do Intendente fosse agora “um sítio onde se produzem cogumelos”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(TIAGO PETINGA/LUSA)

Procuram-se especialistas para indústria em alto voo

LISBOA, 02/05/2019  - Convidado do programa “A Vida do Dinheiro” - António Bernardo
(João Silva/Global Imagens)

António Bernardo: “O modelo económico e social europeu é um modelo de futuro”

Certificados

Famílias investiram uma média de 3,3 milhões por dia em certificados este ano

Outros conteúdos GMG
Costa. “Quando temos um Nabeiro, não precisamos de nenhum Clooney”