azambuja

Covid-19. Com 70 casos, Sonae vai testar mais 450 trabalhadores na Azambuja

azambuja covid
Trabalhadores da plataforma logística de Azambuja, trabalhadores dos armazéns e fábricas que chegam também de comboio no apeadeiro Espadanal de Azambuja e paragens de autocarros junto à EN3. (Leonardo Negrão / Global Imagens)

Jerónimo Martins já testou os mais de 800 trabalhadores na Azambuja. Testes vieram negativos.

Já com 70 casos confirmados de infeção com o Covid-19 nos trabalhadores na plataforma da Azambuja, a Sonae MC vai avançar com mais 450 testes aos 800 trabalhadores da empresa na plataforma logística, adiantou Luís de Sousa, presidente da Câmara Municipal de Azambuja. A Jerónimo Martins já testou os mais de 800 trabalhadores que tem na plataforma logística: vieram negativos.

“Em conversa telefónica com o secretário de Estado (dos Assuntos Parlamentares) Duarte Cordeiro foi-me transmitido que irão ser realizados 450 testes junto dos cerca de 800 trabalhadores e conforme os resultados irão decidir se vão avançar para os restantes”, diz Luís de Sousa, presidente da autarquia ao Dinheiro Vivo. Esta quinta-feira, a Direção-Geral de Saúde (DGS) confirmava a existência de 70 casos de Covid-19 em trabalhadores da Sonae MC e a realização de 300 testes.

O concelho registava na quinta-feira 44 casos de infeção por covid-19, 21 recuperados, 62 em isolamento e dois óbitos.

O CESP – Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal defende que a realização de testes devia estender-se aos outros 1200 trabalhadores que prestam serviços para a Sonae MC por uma questão de proximidade e não apenas aos 800 do armazém do braço do retalho do grupo Sonae.

“Todos os trabalhadores têm de ser testados. Devido à proximidade o número de casos tem vindo a aumentar. Os trabalhadores que trabalham nos armazéns ao lado e prestam serviços também deveriam ser testados por uma questão de proximidade”, defende Ricardo Mendes, do CESP. Em meados de maio, a Sonae registava 11 casos de infeção, na quarta esse número subiu para 40 e esta quinta-feira eram confirmados 70 casos pela DGS.

Contactada a Sonae não quis comentar o tema, remetendo para a DGS.

A Jerónimo Martins, tal como avançou o Dinheiro Vivo, já avançou com testes junto aos mais de 500 trabalhadores na plataforma da Azambuja. Ao todo foram testados, em três dias, 842 trabalhadores. “Os testes já chegaram e foram todos negativos”, adianta fonte oficial do grupo dono do Pingo Doce. Os testes foram todos feitos a custas do grupo.

A medida foi uma das iniciativas tomadas no âmbito do plano de contingência do grupo depois de terem sido detetados casos de infeção pelo novo coronavírus na plataforma logística. Os trabalhadores é-lhes medida a temperatura e caso esteja acima do normal, colaborador não entra no edifício. Os trabalhadores que contactaram com pessoas infetadas também são enviados para casa.

Neste momento, há um caso de um trabalhador, sem sintomas, que teve contacto com um colaborador da Sonae MC que “está a ser monitorizado”, à semelhança do que foi feito com os trabalhadores que contactaram com pessoal da Avipronto, empresa onde foram detetados mais de 100 casos.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa. JOÃO RELVAS/POOL/LUSA

Governo cria complemento salarial até 350 euros para trabalhadores em lay-off

O primeiro ministro, António Costa, fala aos jornalistas durante a conferência de imprensa, 04 junho 2020, realizada no final da reunião do Conselho de Ministros, no Palácio da Ajuda, em Lisboa.     MANUEL DE ALMEIDA / POOL/LUSA

Banco de Fomento para Portugal com “aprovação provisória”

O primeiro ministro, António Costa, fala aos jornalistas durante a conferência de imprensa realizada no final da reunião do Conselho de Ministros, no Palácio da Ajuda,  em Lisboa, 29 de maio de 2020. O Governo decidiu adiar a passagem para a terceira fase de desconfinamento na Área Metropolitana de Lisboa e criou regras especiais, sobretudo em atividades que envolvem “grande aglomerações de pessoas”.  MANUEL DE ALMEIDA/POOL/LUSA

Trabalhadores em lay-off passam a receber entre 77% e 92% do salário

Covid-19. Com 70 casos, Sonae vai testar mais 450 trabalhadores na Azambuja