Covid-19. Retoma na restauração está a "evoluir", embora "lentamente"

Declarações de António Costa sobre a retoma da restauração foram feitas durante uma visita à Delta, em Campo Maior.

O primeiro-ministro, António Costa, considerou esta quarta-feira que a retoma económica na restauração está "a evoluir", embora “lentamente”, na sequência da pandemia de covid-19, sublinhando que é preciso “prosseguir” o trabalho que está a ser desenvolvido.

O chefe do Governo, que falava aos jornalistas após ter dado “um abraço” e tomado um café com o comendador e fundador da Delta Cafés, Rui Nabeiro, em Campo Maior, no distrito de Portalegre, considerou que aquela empresa é um “excelente ponto de observação”, um “barómetro”, para saber como está a decorrer a retoma económica.

“Aqui é um excelente ponto de observação de como é que as coisas estão a correr do ponto de vista da retoma, visto que a Delta é uma marca muito presente e um bom indicador como as coisas estão a evoluir, lentamente”, disse.

“É preciso prosseguir. Como sabemos, a restauração tem vido a retomar devagar e este é um produto que se consome basicamente na restauração e não é o aumento do consumo doméstico que compensa”, acrescentou.

O primeiro-ministro, que se reuniu com o empresário no Centro de Ciências do Café, considerou ainda que a reabertura das fronteiras com Espanha “vai ser muito importante” para todo o país e em particular para as regiões que têm uma relação “mais intensa” com Espanha, como é o caso do Alto Alentejo ou do Alto Minho.

O Centro de Ciências do Café reabriu também ao público após mais de dois meses e meio encerrado devido à pandemia, situação que deixou satisfeito o comendador Rui Nabeiro.

Em declarações aos jornalistas, o empresário relatou que nos últimos três meses e meio o mundo viveu uma “história de vida que ninguém sabe explicar”, mas considerou que as pessoas conseguiram “adaptar” à situação.

Rui Nabeiro explicou que a Delta Café foi uma das empresas que não recorreu ao lay-off na sequência da pandemia, uma vez que “havia condições” para manter as mesmas condições laborais para os cerca de quatro mil trabalhadores.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de