Internet

Custo Justo. Portal de classificados com capital nacional

Pedro Furtado é novo proprietário do portal Custo Justo
Pedro Furtado é novo proprietário do portal Custo Justo

Pedro Furtado é o novo sócio maioritário do custojusto.pt. O até agora diretor-geral da plataforma de classificados online comprou 70% da sociedade aos nórdicos da Schibsted, que se mantêm na empresa com uma posição minoritária.

A aquisição visou “permitir uma maior rapidez de resposta às necessidades locais, com uma maior autonomia da equipa de gestão local”, justifica Pedro Furtado em comunicado, destacando que o negócio permite tirar partido do “know how e experiência” trazidos pela Schinsted, aliados a uma estrutura “que conhece o mercado nacional e as suas particularidades. E, por isso mesmo, a Custo Justo, Lda expandiu-se já para o Porto, onde abriu escritórios e onde pretende ter uma equipa de dez profissionais.

Com cerca de 10 milhões de visitas mensais e mais de um milhão de anúncios recentes, que incluem artigos como carros, casas, artigos para o lar, eletrónica e também ofertas de emprego, o custojusto.pt distingue-se da restante concorrência “pelo facto a colocação de anúncios ser totalmente gratuita em todas as categorias e sem limite de anúncios, ao contrário do que acontece em outros sites de classificados”. O portal disponibiliza, ainda, um sistema de apoio ao cliente pronto a esclarecer as dúvidas e as questões dos utilizadores.

Em comunicado, a empresa promete apresentar novidades brevemente, “tanto ao nível das suas apps para android e IOS, com na versão web, de forma a proporciona a compradores e vendedores a oportunidade de fazerem bons negócios enquanto utilizam esta plataforma”.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Vieira da Silva  (A. LOPES/LUSA)

Percentagem de trabalhadores com salário mínimo recuou no 2º trimestre

A presidente do Conselho das Finanças Públicas (CFP), Teodora Cardoso. Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA

Teodora Cardoso acusa Centeno de “falta de transparência” no orçamento

Fotografia: REUTERS/Darrin Zammit Lupi

Juncker: “Não temos de agir como a Caritas em relação a África”

Outros conteúdos GMG
Custo Justo. Portal de classificados com capital nacional