Empresas

Danone vende fábrica e abandona atividade industrial em Portugal

Danone garante que se mantém em Portugal
Danone garante que se mantém em Portugal

A Danone vai vender a fábrica de Portugal, situada em Castelo Branco, à Schreiber Foods, uma empresa de origem americana líder no fabrico de produtos lácteos frescos. O grupo com sede em França adianta que os 110 postos de trabalho da unidade em Portugal estão assegurados e que os produtos da Danone vão continuar a ser fabricados em Castelo Branco.

Além da unidade industrial em Portugal, a Danone vai alienar as fábricas que detinha na Bulgária e na República Checa. A operação está sujeita à aprovação das autoridades reguladoras, mas a Danone confirmou em comunicado que já chegou a acordo com a Schreiber Foods para a venda da atividade industrial em Portugal e nos restantes países.

A Danone adianta que com esta operação “encontra a oportunidade de preservar a continuidade dos empregos e a atividade industrial nestes países, otimizando os seus recursos industriais, num contexto de crise de longo prazo na Europa e em alguns mercados locais”. Segundo o grupo a crise “tem levado a uma redução da procura dos consumidores” e a venda de unidades industriais foi a forma encontrada para “assegurar um crescimento sustentável através do aumento da competitividade e otimização de custos”.

O grupo francês está em Portugal desde 1989 e em Castelo Branco são produzidas as marcas de iogurtes Danone, Activia, Grego, Actimel, Danacol, Corpos Danone, Danup e Danoninho. A fábrica tem uma capacidade produtiva anual de 110 mil toneladas e nos últimos cinco anos , a Danone investiu nove milhões de euros nesta unidade. O acordo prevê a transferência da atividade produtiva da Danone para a Schreiber Foods, bem como a manutenção dos postos de trabalho.

Segundo o comunicado, a Schreiber Foods pretende desenvolver a sua atividade na Europa atravês desta aquisição. O objetivo do grupo americano é “tornar-se a fabricante líder em Portugal” em produtos lácteos frescos.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Poupança das famílias subiu no 2º trimestre

Deco pede medidas urgentes para travar crédito ao consumo

Elisa Ferreira, António Costa. Fotografia: Álvaro Isidoro/Global Imagens

Elisa Ferreira. Minas de lítio têm de “compensar impacto ambiental”

O ministro da Economia, Pedro Siza Vieira (E), e a ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho (D). Fotografia: ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Governo deixa cair referencial geral para aumento de salários

Danone vende fábrica e abandona atividade industrial em Portugal