Empresas

Danone vende fábrica e abandona atividade industrial em Portugal

Danone garante que se mantém em Portugal
Danone garante que se mantém em Portugal

A Danone vai vender a fábrica de Portugal, situada em Castelo Branco, à Schreiber Foods, uma empresa de origem americana líder no fabrico de produtos lácteos frescos. O grupo com sede em França adianta que os 110 postos de trabalho da unidade em Portugal estão assegurados e que os produtos da Danone vão continuar a ser fabricados em Castelo Branco.

Além da unidade industrial em Portugal, a Danone vai alienar as fábricas que detinha na Bulgária e na República Checa. A operação está sujeita à aprovação das autoridades reguladoras, mas a Danone confirmou em comunicado que já chegou a acordo com a Schreiber Foods para a venda da atividade industrial em Portugal e nos restantes países.

A Danone adianta que com esta operação “encontra a oportunidade de preservar a continuidade dos empregos e a atividade industrial nestes países, otimizando os seus recursos industriais, num contexto de crise de longo prazo na Europa e em alguns mercados locais”. Segundo o grupo a crise “tem levado a uma redução da procura dos consumidores” e a venda de unidades industriais foi a forma encontrada para “assegurar um crescimento sustentável através do aumento da competitividade e otimização de custos”.

O grupo francês está em Portugal desde 1989 e em Castelo Branco são produzidas as marcas de iogurtes Danone, Activia, Grego, Actimel, Danacol, Corpos Danone, Danup e Danoninho. A fábrica tem uma capacidade produtiva anual de 110 mil toneladas e nos últimos cinco anos , a Danone investiu nove milhões de euros nesta unidade. O acordo prevê a transferência da atividade produtiva da Danone para a Schreiber Foods, bem como a manutenção dos postos de trabalho.

Segundo o comunicado, a Schreiber Foods pretende desenvolver a sua atividade na Europa atravês desta aquisição. O objetivo do grupo americano é “tornar-se a fabricante líder em Portugal” em produtos lácteos frescos.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

A presidente da Fundação Calouste Gulbenkian, Isabel Mota, conversa com o presidente e CEO da PTT Exploration and Production (PTTEP), Phongsthorn Thavisin durante a conferência de imprensa de anúncio da venda da Partex à empresa tailandesa, na sede da fundação em Lisboa
TIAGO PETINGA/LUSA

Gulbenkian vende negócio do petróleo e gás. Onde vai investir agora?

Fotografia: D.R.

Deficiência. Peritos aconselham troca de benefícios fiscais por outros apoios

Outros conteúdos GMG
Danone vende fábrica e abandona atividade industrial em Portugal