Coronavírus

De magnata do software a homem mais odiado do futebol, quem é o dono da vacina?

Dietmar Hopp, à direita, durante um jogo da Bundesliga. EPA/ARMANDO BABANI .
Dietmar Hopp, à direita, durante um jogo da Bundesliga. EPA/ARMANDO BABANI .

Dietmar Hopp, criador da SAP e dono do título de homem mais odiado do futebol, é proprietário da empresa que está a desenvolver a vacina para o vírus

O magnata alemão Dietmanr Hopp está no centro de uma disputa entre os Estados Unidos e a Alemanha. Figura controversa na Alemanha, muito devido ao mundo do futebol, Hopp é proprietário da empresa que está a desenvolver a vacina para o Covid-19.

A CureVac, uma gigante farmacêutica sediada na Alemanha, estará na fase final de desenvolvimento de uma vacina para o coronavírus. Conforme avança a alemã Der Spiegel, o magnata, que também é dono do clube Hoffenheim, já deixou recados sobre uma possível disputa pelo uso da vacina.

Os meios internacionais referem que Donald Trump quer ter exclusividade da comercialização desta vacina. Através de comunicado, Hopp já veio a público indicar que “se conseguirmos ser bem-sucedidos no desenvolvimento de uma vacina eficaz, isso deverá ajudar e proteger pessoas em todo o mundo”. Onde é que entra a Alemanha na equação? Com os EUA a pedir a exclusividade da vacina, o governo alemão queria manter a comercialização desta vacina na Europa.

Além de deixar mensagens a Donald Trump, o magnata já negou os rumores que indicavam que estaria a negociar a venda desta vacina contra a pandemia, ainda antes de todos os testes estarem concluídos. A tomada de posição de Hopp mereceu mesmo um comentário do ministro da Economia alemão, Peter Altmaier, que indicou que “a Alemanha não está à venda”.

Dietmar Hopp não é uma figura consensual na Alemanha. Filho de Emil Hopp, líder de um pelotão de forças paramilitares do partido nazi, tornou-se milionário ainda jovem, quando fundou a gigante de software de gestão SAP com quatro outros empresários, em 1972. Ocupou a presidência da empresa durante vários anos, entre o final dos anos 80 e final dos anos 90. Em 2003, abandonou a SAP, mas manteve 5,52% do capital da empresa na sua posse.

Nos últimos anos, foi alvo de várias críticas por parte de adeptos de futebol, chegando mesmo a ser descrito como o homem mais odiado do futebol na Alemanha. Se em adolescente jogava no pequeno Hoffenheim, numa liga menor, ao longo dos anos tem conseguido levar o clube até ao topo. Com um nono lugar na Bundesliga, o Hoffenheim também já marcou presença na Liga dos Campeões – algo impensável quando o magnata deu os primeiros chutos na bola.

O título de homem odiado surgiu quando se tornou uma exceção à regra 50+1 na Bundesliga – o multimilionário alemão é dono de 96% do clube. Muitos adeptos “puristas” do futebol criticam que os milhões de Hopp injetados no clube retiraram a a alma ao jogo.

Resta agora saber se, com o desenvolvimento desta vacina, Hopp conseguirá dar uma volta ao marcador da popularidade.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa, intervém durante a cerimónia de assinatura de declaração de compromisso de parceria para Reforço Excecional dos Serviços Sociais e de Saúde e lançamento do programa PARES 3.0, no Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, em Lisboa, 19 de agosto de 2020. ANDRÉ KOSTERS/LUSA

“Na próxima semana podemos chegar aos 1000 casos por dia”, avisa Costa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. FILIPE FARINHA/LUSA

Marcelo promulga descida do IVA da luz consoante consumos

Fotografia: Fábio Poço/Global Imagens

Apoio a rendas rejeitado devido a “falha” eletrónica

De magnata do software a homem mais odiado do futebol, quem é o dono da vacina?