Deco processa Apple por tornar iPhone 6 mais lento. Há 115 mil afetados

Associação para a defesa do consumidor exige o equivalente a cerca de 60 euros de compensação por cada lesado em Portugal

A Deco vai processar a Apple por tornar o iPhone 6 mais lento. A associação para a defesa do consumidor acusa a tecnológica norte-americana de manipular deliberadamente este smartphone para que os utilizadores comprarem os modelos mais recentes da marca. A Deco exige uma compensação equivalente a cerca de 60 euros por consumidor em Portugal.

"A Deco Proteste, organização de defesa do consumidor, acusa a Apple de ter programado os Iphones 6, 6 Plus, 6S e 6S Plus para se tornarem obsoletos. Perante a falta de respostas da Apple, a DECO PROTESTE vai avançar para tribunal de modo a defender os direitos dos 115 mil portugueses lesados", refere a entidade em comunicado de imprensa divulgado esta segunda-feira.

A associação acrescenta que a queixa tem por base "a legislação europeia que proíbe expressamente as práticas comerciais desleais, enganosas e agressivas, como é o caso da obsolescência programada".

A compensação, no valor médio de cerca de 60 euros por consumidor, inclui o custo de reparação da bateria e 10% do valor de compra deste equipamento. No total, são exigidos cerca de 6,9 milhões de euros para um total de 115 mil consumidores.

A queixa apresentada pela Deco junta-se à denúncia feita em 2017 pelo grupo internacional Euroconsumers.

Em 2020, e na sequência de uma queixa da Altroconsumo, congénere italiana, o Tribunal Administrativo de Roma condenou a marca a pagar uma coima de 10 milhões de euros. Nos Estados Unidos, a Apple conseguiu evitar uma ação nos tribunais com um acordo de 113 milhões de dólares.

Apesar das acusações, a Apple alega que as alterações feitas na gama de telemóveis tratam-se apenas de atualizações que visam prolongar a vida útil das baterias e reduzir as falhas que decorrem com o passar do tempo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de