Empresas

Descoberta de irregularidades afunda dona da Conforama

Fotografia:  Fernando Pereira / Global Imagens
Fotografia: Fernando Pereira / Global Imagens

CEO da Steinhoff, Markus Jooste, demitiu-se esta quarta-feira depois de se saber das irregularidades contabilísticas no grupo.

As ações da Steinhoff, dona da Conforama, estão a cair a pique (mais de 60%) depois de terem sido divulgadas irregularidades contabilísticas que levaram já à demissão do presidente executivo, Markus Jooste.

“O conselho de supervisão da Steinhoff informa os seus acionistas que teve acesso a nova informação que se relaciona com irregularidades contabilísticas que exigem investigação adicional”, refere o comunicado divulgado esta quarta-feira pelo grupo de retalho sul-africano.

A auditora PwC vai avançar com uma “investigação independente” às contas do grupo com sede na Holanda.

Este comunicado surge depois de ter sido noticiado que os resultados relativos ao ano fiscal de 2017 iriam ser divulgados esta quarta-feira, mas sem serem auditados.

“Em paralelo com os resultados financeiros consolidados do grupo para o ano terminado a 30 de Setembro de 2017, o conselho de supervisão e os auditores do grupo ainda não finalizaram a sua avaliação sobre determinadas matérias e circunstâncias, a maioria das quais levantadas por uma investigação criminal e fiscal na Alemanha”, referia o comunicado emitido esta segunda-feira, dando conta que os resultados auditados seriam divulgados até 31 de janeiro de 2018.

No comunicado desta quarta-feira, o grupo afirma que só irá divulgar os resultados auditados quando estiver em condições.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Paulo Azevedo, Chairman e Co-CEO da Sonae, e Ângelo Paupério, Co-CEO da Sonae.

(Leonel de Castro / Global Imagens)

Sonae SPGS com lucros de 200 milhões até setembro

Veículos estacionados no porto de Setúbal, durante a greve dos estivadores precários, em Setúbal, 14 de novembro de 2018. Em causa está um diferendo laboral desencadeado por um grupo de estivadores precários e a empresa de trabalho portuário Operestiva, que afeta várias empresas, entre as quais a Autoeuropa. ANDRÉ AREIAS/LUSA

Setúbal: Operestiva disposta a negociar se estivadores voltarem ao trabalho

Primeira-ministra Theresa May, 14 de novembro de 2018. EPA/FACUNDO ARRIZABALAGA

Brexit: May consegue apoio do Governo e aprova rascunho do acordo final

Outros conteúdos GMG
Descoberta de irregularidades afunda dona da Conforama