Coronavírus

Desigual, Quebramar, Lanidor e hôma encerram lojas. Agora só compras online

quebramar1

Surto de Covid-19 está a levar as marcas a encerrar lojas físicas mantendo sites de ecommerce a funcionar para garantir entregas aos clientes.

Desigual, Quebramar, a Lanidor e a hôma (antiga DeBorla) decidiram encerrar as suas lojas físicas na sequência do surto do novo coronavírus. A portuguesa Salsa e a Sacoor também tomaram essa opção. Retalho está a dar aos clientes a opção de fazer as suas compras online. Esta terça-feira já há 448 casos confirmados por Covid-19. Na segunda-feira foi confirmada a primeira morte no país.

“Só estando unidos à distância poderemos fazer com que a vida volte a ser o máximo. Por isso, a partir de hoje, as nossas lojas em Portugal estarão temporariamente fechadas”, foi a mensagem enviada pela Desigual aos clientes. A marca de roupa mantém contudo o site de ecommerce a funcionar.

A mesma opção foi tomada pela marca de roupa portuguesa Quebramar. “Acreditamos que os nossos clientes sabem que neste momento único caminho é, sempre que possível, ficar em casa”, comunicou a marca, “acreditamos que todos juntos faremos a diferença e contribuiremos para enfraquecer a curva Covid-19, disse anunciando a decisão de encerrar a rede de lojas a nível nacional.

“Continuaremos a trabalhar em segurança para manter operacional a loja online”, disse ainda. No site, a marca está a oferecer os portes de envio das encomendas para entregas em Portugal Continental e Ilhas.

Esta terça-feira foi a vez da Lanidor decidir pelo encerramento. “Todas as nossas lojas físicas estão encerradas por tempo indeterminado”, anunciou a marca numa mensagem enviada aos clientes. “Alguns dos nossos colaboradores adoptarão o regime de trabalho remoto a fim de promover o distanciamento social recomendado pela DGS”, diz ainda.

“Pretendemos manter a normalidade dentro do possível e, por isso, manteremos a nossa loja online em funcionamento”, informa. “Ao encomendar online não serão cobrados portes de envio”.

Salsa (marca comunicou ainda o prolongamento dos prazos para trocas e devoluções de artigos e também dos vouchers: “terá sempre 30 dias a contar apenas após a normalização da situação atual”) e a e Sacoor são outras das marcas de vestuário que optaram igualmente por encerrar a rede de lojas.

A atuar na área do retalho de mobiliário e decoração a hôma, antiga DeBORLA, decidiu encerrar temporariamente, e com efeito imediato, todas as suas lojas físicas em Portugal continental e ilhas como medida de prevenção do novo Coronavírus. “Com 35 lojas distribuídas pelo Continente e regiões autónomas e mais de 650 colaboradores, o dever de proteger as comunidades locais, que nos têm acompanhado nos últimos 20 anos, levou à decisão de encerramento das lojas físicas”, justifica a cadeia. “A reabertura das lojas ficará condicionada à reavaliação e acompanhamento permanente da evolução da pandemia”. Compras agora só online.

(Notícia atualizada às 14h com posição da Lanidor)

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
apple one

Apple One junta vários serviços, chega a Portugal mas com limitações. O que tem

A presidente da Comissão Europeia, Ursula Von Der Leyen no discurso do Estado da União. EPA/OLIVIER HOSLET

Regra europeia poria salário mínimo português nos 663 euros

A  90ª edição da Micam, a feira de calçado de Milão, está agendada para os dias 20 a 23 de setembro, com medidas de segurança reforçadas. Fotografia DR

Calçado. Micam arranca este domingo e até há uma nova marca presente

Desigual, Quebramar, Lanidor e hôma encerram lojas. Agora só compras online