Deutsche Bank com perdas no 2.º trimestre devido ao corte de 18 mil empregos

As perdas deveram-se ao corte de 18 mil postos de de trabalho, parte do plano de reestruturação do banco alemão, que vai deixar o negócio das ações.

O Deutsche Bank, maior banco privado da Alemanha, anunciou esta quarta-feira que registou prejuízos de 3.190 milhões de euros no segundo trimestre devido aos custos provocados pela redução de 18.000 postos de trabalho.

O Deutsche Bank informou que os custos da redução de postos de trabalho atingiram os 3.400 milhões de euros, mais do que o esperado.

No segundo trimestre de 2018, o Deutsche Bank tinha obtido um resultado líquido de 361 milhões de euros.

O Deutsche Bank sofreu no primeiro semestre perdas líquidas de 3.012 milhões de euros, contra lucros de 481 milhões de euros no mesmo período de 2018.

No início de julho, o banco alemão anunciou um plano de reestruturação no valor de 7,4 mil milhões de euros, que já previa a saída de 18 mil funcionários e uma reorganização de vários negócios, para que o banco passe a focar-se nos clientes empresariais alemães.

O presidente da entidade, Christian Sewing, disse que "uma parte substancial dos custos de reestruturação já está assimilada no segundo trimestre".

Excluindo os custos da reestruturação, o banco teria sido rentável e nos negócios mais estáveis as receitas mantiveram-se ou cresceram, adiantou o presidente.

Isto e a sólida posição de capital e liquidez dá ao Deutsche Bank uma base firme para o crescimento, segundo o presidente.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de