Dono da Kyaia prepara criação de um fundação para o estudo da doença bipolar

Fortunato Frederico diz que tem "os melhores trabalhadores do mundo
Fortunato Frederico diz que tem "os melhores trabalhadores do mundo

A criação de uma fundação para estudo da doença bipolar e o lançamento de um galardão anual para premiar os colaboradores que mais têm contribuído para o sucesso do grupo Kyaia foram as novidades apresentada pelo fundador, Fortunato Frederico, e pelo seu sócio Armindo Monteiro, no almoço de comemoração dos 30 anos da Kyaia e dos 20 anos da Fly London, que este sábado juntou em Guimarães mais de duas centenas de pessoas, entre as quais se destacaram nomes como Jorge Sampaio, Artur Santos Silva, Mira Amaral, Danel Bessa, Alberto de Castro ou Luís Filipe Costa, entre muitos outros.

Fortunato Frederico, aproveitou o momento para fazer uma breve resenha histórica do que é hoje o maior grupo português de calçado, com mais de 600 trabalhadores, mas que começou em 1984, com 50 funcionários, num local que “nem telhado tinha ainda”, disse, mas que foi sendo feito “à medida que o chão da fábrica se foi construído e o número de trabalhadores foi crescendo”, frisou.

Dos muitos agradecimentos públicos que Fortunato Frederico quis fazer, destaque para o que dirigiu ao seu sócio, Amílcar Monteiro, classificando-o mesmo como “o esteio fundamental” para o crescimento do grupo e agradecendo “a particular atenção e entusiasmo” que demonstrou pelo desenvolvimento da marca Fly London, a mais internacional das marcas de calçado português, hoje presente em 57 mercados e com lojas em Portugal, Inglaterra, Irlanda e Dinamarca.

Leia também Fly London prepara loja em Nova Iorque

Fortunato Frederico, que é também presidente da Associação Portuguesa dos Industriais de Calçado, Componentes, Artigos de Pele e seus Sucedâneos (APICCAPS), não se esqueceu de agradecer em especial aos funcionários, sublinhando o seu “imenso orgulho” em todos aqueles como quem trabalha todos os dias e que “ajudaram a transformar uma pequena numa grande empresas”. E frisou mesmo: “Os trabalhadores da Kyaia são os melhores trabalhadores do mundo”.

Não admira, por isso, que os dois sócios tenham decidido instituir o ‘Fly de Ouro’, uma galardão anual para premiar e distinguir aqueles que mais contribuíram para o crescimento e desenvolvimento da marca em todo o mundo. Nesta primeira edição, foram distinguidos com o prémio, João Vilas Boas, agende da Fly em Portugal, e Ashley Cumming, o parceiro no Reino Unido. “Foram eles que, nos primeiros tempos, não desistiram. Acreditaram sempre que haviam de levar o barco a bom porto e quisemos distingui-los por isso”, explicou ao Dinheiro Vivo Amílcar Monteiro.

Fortunato Frederico aproveitou, ainda, para explicar em pormenor a sua visão de futuro para a Kyaia, grupo que este ano faturou, entre o segmento industrial e a rede de retalho (com a cadeia Foreva), 56 milhões de euros e que pretende, nos próximos dez anos, investir 10 milhões de euros na expansão da sua área produtiva, de modo a chegar a 2024 com uma área coberta total de 32 mil metros quadrados, dando emprego a mil pessoas e duplicar as vendas. E anunciou a criação de uma fundação em memória do seu filho, Frederico Nuno, desaparecido num trágico acidente, aos 18 anos, e que deixou marcas profundas na sua outra filha, Sandra. A fundação, que está ainda a ser preparada e não tem nome definitivo acertado, pretende ser “um escopo fundamental no estímulo ao estudo da doença bipolar”, bem como no apoio a causas de solidariedade social.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Gerardo Santos/Global Imagens

Saídas para a reforma disparam 43% na função pública

Foto: DR

EDP flexibilizou pagamento de faturas no valor de 60 milhões de euros

Ministro de Estado, da Economia e Transição Digital, Pedro Siza Vieira. TIAGO PETINGA/LUSA

Moratórias bancárias estendidas até final de setembro de 2021

Dono da Kyaia prepara criação de um fundação para o estudo da doença bipolar