Dono da SIC vai deixar de apresentar contas a cada três meses

Grupo dono da SIC e do Expresso continuará a apresentar as contas semestrais, tal com define o Código dos Valores Mobiliários.

A Impresa vai deixar de apresentar contas a cada três meses ao mercado a partir do próximo ano, informou o grupo dono da SIC e do Expresso à CMVM. O grupo vai continuar a apresentar as contas semestrais e anuais.

"Informa-se que, uma vez ultrapassado o período de dois (2) anos previsto no artigo 246º-A, n.º 2, do Código dos Valores Mobiliários, o Conselho de Administração da Impresa — Sociedade Gestora de Participações Sociais, S.A. deliberou a cessação da divulgação de informação financeira trimestral, com efeitos a partir de 1 de janeiro de 2020. Manter-se-á a publicação de informação financeira semestral, nos termos do disposto no artigo 246.º do Código dos Valores Mobiliários", informou o grupo.

"O Grupo Impresa está a seguir a tendência geral das empresas cotadas fora do PSI 20", justifica fonte oficial do grupo quando contactada pelo Dinheiro Vivo.

“As empresas cotadas na bolsa de Lisboa, à exceção das instituições financeiras, podem decidir se querem ou não divulgar os resultados trimestrais. Esta possibilidade é permitida pela diretiva comunitária 2013/50/EU, cuja transposição para o direito português foi aprovada em 2016", afirma fonte oficial do grupo quando contactada pelo Dinheiro Vivo.

"Uma vez ultrapassado o período de dois anos previsto no artigo 246º-A, n.º 2, do Código dos Valores Mobiliários, a Impresa — Sociedade Gestora de Participações Sociais, S.A. deliberou a cessação da divulgação de informação financeira trimestral, com efeitos a partir de 1 de janeiro de 2020. Mas mantém-se a publicação de informação financeira semestral. Ou seja, estamos apenas a concentrar a divulgação de informação em dois momentos", continua a mesma fonte.

Das 21 empresas cotadas na Bolsa nacional fora do PSI20, 11 não divulgam informação financeira trimestral, número que se irá elevar para 12 a partir do próximo ano com esta decisão do grupo de media. No PSI20 há duas cotadas, a Mota-Engil e Pharol, que não apresentam contas trimestrais.

Na área dos media, além da Impresa, apenas a Cofina (dona do Correio da Manhã) e a Media Capital (dona da TVI) são cotadas, apresentando contas trimestrais. A Cofina está num processo de compra da TVI, com o dossier neste momento a ser analisado pela Autoridade da Concorrência, depois da luz verde da ERC.

(Notícia atualizada às 18h30 com esclarecimento do grupo Impresa)

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de