Dono da Wewood aposta em coleção exclusiva para online

Grupo de Paredes investiu numa linha de móveis com design, fáceis de transportar e montar, para vender em exclusivo na sua loja digital Backhome.

A MPT-Marcenaria Portuguesa decidiu apostar no comércio online e acaba de abrir a Backhome, uma loja de mobiliário digital com artigos de design concebidos para viajarem com facilidade da fábrica de Gandra, em Paredes, até a casa do cliente. O projeto do grupo que detém as marcas Wewood e Wecontract já implicou um investimento de 350 mil euros e foi concebido a olhar para os mercados de Portugal, França, Reino Unido e Espanha. Segundo Salvador Gonzaga, CEO da MPT, a aposta nos canais digitais pretende ser uma resposta às alterações aos hábitos de compra dos consumidores, que têm demonstrado um crescente interesse por plataformas digitais de venda.

"Decidimos aproveitar o know-how do grupo MPT na produção e venda de mobiliário e investir num projeto mais ambicioso e inovador", com foco num cliente acima dos 30 anos, "com gosto por design, que privilegia a qualidade dos materiais e a diferenciação, mas que procura facilidade de compra e montagem dos produtos", sublinha o gestor. A Backhome quer distinguir-se das "grandes cadeias de retalho de mobiliário, que têm tornado os lares iguais, com produtos bastante descartáveis", evitando uma produção de baixo valor e margens elevadas, acrescenta.

À venda apenas no canal online, a coleção, maioritariamente idealizada dentro de portas, integra produtos como cadeiras e bancos, camas e mesas de apoio e de sala de jantar, com preços que oscilam entre 130 e 900 euros. "É dinâmica, funcional e divertida, e foi desenhada a pensar num estúdio parisiense, num loft londrino, num sótão lisboeta ou num apartamento madrileno", descreve Salvador Gonzaga, que adianta que todo processo de compra prima pela facilidade. Os preços no site já incluem IVA e custo de transporte, a embalagem é fácil de transportar e colocar dentro de casa, e os produtos são de montagem simples.

Para este ano de estreia, as ambições são moderadas. Como explica o responsável, "estamos ainda em testes de mercado, desenvolvimento de produto e ativação de marca, estaremos a lutar para vendas de 100 mil euros até ao final do ano. Em 2023, contamos atingir o ano cruzeiro com 600 mil euros".

Sem parar

A MPT, reconhecida a nível internacional pela marca de mobiliário de design Wewood, passou praticamente incólume à crise pandémica. "Não tivemos de parar a produção, como a maior parte das fábricas italianas, optámos por fazer algum stock, diminuir prazos de entrega e dar uma resposta mais rápida aos pedidos dos clientes", salienta Salvador Gonzaga. Na sua opinião, "o susto acabou por ser maior do que a realidade, durante este período aumentámos a equipa e criámos uma nova marca".

O grupo, que exporta para 54 países, conseguiu segurar as vendas de móveis para o segmento residencial e incrementar na área da hotelaria. Como revela o gestor, no ano passado, tiveram "um aumento do número de encomendas, destacando-se os grupos Sana Hotels e Libertas como principais clientes, e ao nível dos projetos de interiores houve uma grande procura". Em tempos de pandemia, "os hoteleiros acabaram por procurar tratar das remodelações dos hotéis enquanto estavam fechados". Em termos agregados, o grupo faturou 10 milhões de euros em 2020, 60% provenientes do negócio residencial e 40% do contract.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de