Energia

Dono do Intermarché investe em energia solar

Intermarché de Lagos. Aderente investiu 190 mil euros em painéis solares
Intermarché de Lagos. Aderente investiu 190 mil euros em painéis solares

Cinquenta lojas do Grupo Mosqueteiros já têm painéis solares. Novas lojas irão instalar painéis para autoconsumo.

O Grupo Mosqueteiros está a investir na instalação de painéis solares para a produção de energia para as lojas e os supermercados. De um total de 250 lojas, 50 já consomem energia proveniente de painéis fotovoltaicos. O dono do Intermarché prevê obter poupanças de energia até 70%. Só no hiper Intermarché de Lagos, no Algarve, a instalação exigiu um investimento de 190 mil euros.

“O uso de energias renováveis é uma prioridade do grupo. O objetivo é apostar na implementação da produção de energia para autoconsumo através de painéis fotovoltaicos em todas as lojas, aumentando assim a autonomia energética dos pontos de venda”, afirma fonte oficial do Grupo Mosqueteiros. Nesta fase, 20% do parque de lojas já tem painéis instalados. “As diretrizes do grupo consideram que qualquer nova loja deve abrir com equipamento fotovoltaico.”

Cabe aos aderentes a compra e a instalação dos painéis. No Intermarché de Lagos, o único hipermercado do grupo no país, foram investidos 190 mil euros, “obtendo uma economia de energia de cerca de 40% a 70%”. Trata-se, sobretudo, de produção para autoconsumo. “O valor de energia à RESP (excedentes) ronda os 4,4%, dependendo do projeto.”

Leia ainda: Intermarché investe 6 milhões em marca própria única e reforça peso nacional

O grupo retalhista está também a investir em sistemas de refrigeração mais sustentáveis que, só nas lojas alimentares, é responsável por 50% a 60% do consumo de energia. “O grupo disponibiliza serviços de empresas de consultadoria para avaliar e propor medidas de melhoria, tornando a instalação do frio mais eficiente.”

Melhorias nas portas dos expositores, variação de velocidade dos compressores, alteração para motores de alta eficiência e o uso de aspiração e condensação flutuante resultam em economias de 12% a 20%, com um retorno de investimento de dois a três anos.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
lisboa casas turismo salarios portugal

Turismo em crise já pensa no day after

O ministro da Economia, Pedro Siza Vieira. TIAGO PETINGA/LUSA

Governo estima que mais de um terço dos empregados fique em lay-off

Mário Centeno, Ministro das Finanças.
Fotografia: Francois Lenoir/Reuters

Folga rara. Custo médio do petróleo está 10% abaixo do previsto no Orçamento

Dono do Intermarché investe em energia solar