DST apresentou a única proposta à compra da Efacec

Parpública anuncia que só uma empresa apresentou proposta final, dentro do prazo previsto, à compra dos 71,73% do Estado na Efacec

A DST SGPS, grupo de Braga especializado em engenharia e construção, apresentou a única proposta final à compra da participação do Estado na Efacec.

O prazo para entrega de propostas terminou na passada segunda-feira. Hoje, a Parpública anunciou que, "no âmbito do processo de reprivatização da participação social de 71,73% do capital social da Efacec - Power Solutions, SGPS, SA, no prazo estabelecido, recebeu uma proposta - "Best And Final Offer", apresentada pelo investidor DST, SGPS, SA".

Em causa está a participação que era de Isabel dos Santos e que o Estado português decidiu, em julho de 2020, nacionalizar, de modo a por fim ao impasse na Efacec na sequência do envolvimento da filha do ex-presidente angolano no caso Luanda Leaks. Logo na altura, o ministro Siza Vieira havia deixado claro que a intenção era a de avançar com a reprivatização o mais depressa possível. O caderno de encargos da operação foi aprovado em dezembro de 2020.

Já em maio deste ano, o ministro da Economia anunciou que pssaram a primeira etapa de avaliação as portuguesas DST e Sing - Investimentos Globais, assim como os grupos estrangeiros Chint Group (China), Iberdrola (Espanha) e Elsewedy (Egipto). Chumbadas foram cinco propostas, por não cumprirem um ou mais critérios de seleção. O Governo garantia então que iria privilegiar o investidor que desse maiores garantias de autonomia estratégica da Efacec, apresentando um plano operacional em que demonstrasse a capacidade de contribuir para a economia nacional e para as exportações portuguesas, além de assegurar a capitalização da companhia.

Na fase de apresentação de propostas vinculativas, só os portugueses da DST e da Sing - Investimentos Globais, ligados à Sodécia, acabaram por avançar.

Em setembro, e para "maximizar a concorrência e obter a proposta que melhore assegure o interesse público", o Governo decidiu avançar com uma terceira fase do processo de reprivatização, permitindo aos dois proponentes a "apresentação de propostas vinculativas melhoradas e finais". Só a DST SGPS o fez.

Segue-se a análise da proposta pela Parpública, que terá de submeter o seu relatório de apreciação do Governo. A decisão final será tomada em Conselho de Ministros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de