Tecnologia

Duas em cada três empresas querem implementar IA para reforçar segurança

segurança, dados, hacker, malware

Estudo da Capgemini aponta que duas em cada três empresas pretende implementar sistemas de inteligência artificial até 2020 para melhorar segurança.

A versão mais recente do estudo do Capgemini Research Institute, feito a empresas de diferentes países e setores, aponta que as organizações estão a reforçar o investimento feito na área de IA. Uma das principais conclusões do estudo “Reinventing Cybersecurity with Artificial Intelligence: the new frontier in digital security” é a de que 69% das empresas aponta a necessidade de fazer frente à próxima geração de ciberataques com a ajuda da inteligência artificial.

O estudo foi feito a 850 quadros superiores da área das tecnologias de informação, em diferentes setores de atividades, em dez países, como França, Alemanha, Reino Unido, Austrália, Espanha, Suécia, entre outros.

Leia também | Quase 40% dos europeus estaria disposto a vender os dados pessoais

As empresas inquiridas referem que, face às novas ameaças, a IA vai ter um papel fundamental para conseguir fazer frente aos ataques. Entre as principais ameaças na área da segurança, os responsáveis referem os ataques automáticos – 43% dos inquiridos indica que notou um aumento dos ataques automáticos.

Mais de metade dos responsáveis (61%) aponta que “precisa da IA para identificar as ameaças mais críticas”. O estudo clarifica também que um em cada cinco inquiridos enfrentou falhas de segurança em 2018. O panorama já não é desconhecido, mas em 20% dos casos, o incidente teve avultados custos – “mais de 50 milhões de dólares à empresa afetada”.

Leia também | “Daqui a cinco anos já ninguém vai falar de cloud, vai ser um dado adquirido”

Entre as principais potencialidades da IA, as respostas são claras: 64% estima que a IA vá contribuir para reduzir os custos com a deteção e correção de incidentes de segurança e 74% confia nesta tecnologia para acelerar o tempo de resposta aos ataques. Sendo que, habitualmente, o tempo de inoperatividade das empresas é o que mais dinheiro custa às empresas, as organizações apontam que possam reduzir o tempo de identificação de ameaças em 12%, acelerando a “correção de falhas”.

No próximo ano, as empresas ouvidas pela Capgemini estão dispostas a aumentar o orçamento alocado à segurança. Cerca de metade dos inquiridos pelo estudo (48%) referiu que os seus orçamentos alocados à IA na cibersegurança vão aumentar 29% em 2020.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
: PÁGINAS : LIXO 08-09 NEGÓCIOS Eólicas + Opinião

Eólica vs. solar. Que energia dominará a Europa em 2030?

Turistas no Miradouro São Pedro de Alcântara, em Lisboa.
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Ourém recua, Guimarães pondera. São já 8 os municípios que cobram taxa turística

Algarve, Portugal. Fotografia: D.R.

Algarve confiante numa estabilização do mercado britânico

Outros conteúdos GMG
Duas em cada três empresas querem implementar IA para reforçar segurança