Energia

EDP Comercial condenada pela ERSE a pagar multa de 1,9 milhões

António Mexia, presidente executivo da EDP. Fotografia: REUTERS/Pedro Nunes
António Mexia, presidente executivo da EDP. Fotografia: REUTERS/Pedro Nunes

Em causa está a "violação de obrigações com atribuição de tarifas sociais"

A EDP Comercial foi condenada a pagar uma multa de 1,9 milhões de euros após uma ação da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

Um acordo entre as duas partes acabou, no entanto, por reduzir o valor da coima para metade, 950 mil euros, “atendendo aos compromissos assumidos” pela energética.

O processo em causa remonta a 2015, explica a reguladora do setor energético. Nessa altura, a multa imposta à EDP Comercial foi de 7,5 milhões de euros, a mais alta de sempre aplicada pela ERSE. Mas os recursos que se seguiram, e a admissão de culpa por parte da EDP Comercial, acabaram por reduzir a sanção.

A ERSE acusou então a EDP Comercial de violar “deveres de cuidado relativos a obrigações inerentes às tarifas sociais e Apoio Social Extraordinário ao Consumidor de Energia (ASECE)”, explica a ERSE em comunicado enviado às redações.

A energética ainda terá de compensar 140 consumidores em 100 euros. São clientes “que vinham identificados no processo como lesados por esta empresa não lhes ter atribuído tempestivamente tarifas sociais e ASECE e/ ou por lhes ter atribuído um valor de desconto a título de ASECE inferior ao devido”, lê-se na nota.

Após anos de recursos, as duas partes chegaram a um acordo.

“Na sequência desta nova acusação, a EDP Comercial optou por confessar os factos e reconhecer responsabilidades negligentes na violação de obrigações inerentes à atribuição de tarifas sociais e ASECE aos consumidores economicamente vulneráveis, colaborando com a Entidade Reguladora e abdicando da litigância judicial”, revela a ERSE.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Estado ‘devolve’ em deduções 60% do Adicional ao IMI que cobra

Amoreira Óbidos

Espanha desapareceu do mapa e França descobriu o velho oeste português

António Mexia  (EDP) durante a cerimonia de assinatura de financiamento por parte do Banco Europeu de Investimento (BEI) da Windfloat Atlantic. Um projecto de aproveitamento do movimento eólico no mar ao largo de Viana do Castelo.
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

EDP quer exportar tecnologia do maior parque eólico flutuante do mundo

Outros conteúdos GMG
EDP Comercial condenada pela ERSE a pagar multa de 1,9 milhões