EDP inaugura nova central elétrica no Alqueva

Construtores criticam regime
Construtores criticam regime

A EDP ianugura hoje a segunda central elétrica da barragem do Alqueva,
no Alentejo, um investimento de 190 milhões de euros que transforma este
empreendimento no segundo maior centro produtor hidroelétrico do país.

A
barragem do Alqueva, que foi concluída em 2002 e passou a ser gerida
pela EDP em 2004, passa assim a ter 512 MW de potência e a produzir 381
GWh de energia por ano, ou seja, 4% de toda a energia produzida em
Portugal num ano médio (ou seja, com chuva) e o suficiente para
abastecer os concelhos de Évora, Beja, Portel, Moura e Vidigueira.

Além
disso, com este reforço, a barragem pode agora armazenar energia uma
vez que tem um sistema de bombagem que lhe permite usar a eletricidade
produzida pelas eólicas em horas de vazio (à noite, quando há menos
consumo) para bombear água e depois ter uma maior capacidade de produção
nas horas de maior procura de energia.

O investimento em
barragens é o único que a EDP tem em curso neste momento em Portugal,
mas é também o de maior dimensão em que está envolvido uma vez que prevê
a aplicação de cerca de três mil milhões de euros em cinco reforços de
potência de centrais já existentes e mais três centrais novas.

Destes
projetos, o Alqueva II, como é conhecido, é o terceiro investimento a
ficar concluído. O ano passado a EDP inaugurou os reforços de potência
das barragens de Bemposta e de Picote, em Trás os Montes.

Em
curso estão ainda os reforços das centrais de Venda Nova e Salamonde e
ainda as barragens de Ribeiradia, Foz Tua e Baixo Sabor.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(REUTERS/Kevin Coombs)

Acordo para o brexit com pouco impacto para Portugal

Manifestante contra o Brexit junto ao Parlamento britânico. (REUTERS/Hannah Mckay )

P&R. O que acontece com o acordo do Brexit?

O primeiro-ministro de Portugal, António Costa, e o ministro das Finanças, Mário Centeno. Foto: TIAGO PETINGA/LUSA

Mais 600 milhões em investimento público, mas país não sai do fundo da tabela

Outros conteúdos GMG
EDP inaugura nova central elétrica no Alqueva