Energia

EDP pode vir a ser alvo de coima de 10 milhões de euros

António Mexia, presidente executivo da EDP. Fotografia: REUTERS/Pedro Nunes
António Mexia, presidente executivo da EDP. Fotografia: REUTERS/Pedro Nunes

O grupo de António Mexia foi alvo de um processo de contraordenação por parte do supervisor financeiro. Arrisca-se a uma coima de 10 milhões.

O grupo EDP pode vir a ser alvo de uma penalização de 10 milhões de euros. Em causa está o processo de contraordenação do Banco de Portugal para com a EDP por alegado incumprimento do Regime Geral das Instituições de Crédito e Sociedades Financeiras.

A notícia, avançada pelo Expresso, esta sexta-feira, refere que, no relatório e contas do primeiro semestre, a energética revela que a coima pode chegar aos 10 milhões de euros, repartidos pela EDP Soluções Comerciais e pela EDP S.A. Alegadamente, a EDP Soluções Comerciais prestou serviços de pagamento que estão reservados apenas a instituições de crédito e similares.

Questionada pelo Dinheiro Vivo sobre que regras não foram cumpridas, o grupo liderado por António Mexia, disse apenas que “estão essencialmente em causa serviços complementares prestados pela EDP, no âmbito das normais relações comerciais estabelecidas com alguns dos seus clientes”.

“A EDP colaborou ativamente com o Banco de Portugal para esclarecer os factos, considerando, no entanto, que o regime jurídico dos serviços de pagamento não se aplica ao caso em concreto”, adiantou ainda fonte oficial da energética.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

RODRIGO ANTUNES / LUSA

Governo reúne motoristas e patrões em nova maratona de “intransigências”

Posto de abastecimento de combustíveis REPA (Rede Estratégica de Postos de Abastecimento) no Porto (ESTELA SILVA/LUSA)

Revendedores de combustíveis esperam acordo “o mais brevemente possível”

Outros conteúdos GMG
EDP pode vir a ser alvo de coima de 10 milhões de euros