Energia

Efacec ajuda a construir maior central de biogás da Europa

Imagem da central de  biogás de Korskro, na Dinamarca. (DR)
Imagem da central de biogás de Korskro, na Dinamarca. (DR)

Empresa portuguesa ficou responsável pelo design, construção, entrega e instalação de máquinas e equipamentos elétricos na central dinamarquesa.

Há mão portuguesa na construção da maior central de biogás da Europa. A Efacec foi uma das empresas que participaram na construção desta infraestrutura, localizada em Korskro, na Dinamarca. Este negócio ficou avaliado em 9,3 milhões de euros.

“Enquanto um dos principais empreiteiros do projeto, a Efacec teve a seu cargo o design, construção, entrega e instalação de máquinas e equipamentos elétricos, incluindo o sistema de gestão de redes de energia SCADA”, referiu a empresa em nota de imprensa divulgada esta quinta-feira.

A central de biogás de Korskro foi inaugurada esta semana mas já se encontrava em funcionamento há vários meses. Terá a capacidade para produzir cerca de 37 milhões de Nm3 (normal metros cúbicos) por ano, que serão encaminhados para a rede de gás natural do país e pertence à empresa Nature Energy.

Entre os ganhos ambientais desta infraestrutura destacam-se o processamento de 708 mil toneladas anuais de biomassa, das quais 521 mil toneladas são estrume, 100 mil toneladas são palha da cama dos animais, silagem de relva e culturas energéticas, e as restantes 87 mil toneladas são subprodutos orgânicos.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O presidente do Novo Banco, António Ramalho, discursa na cerimónia de lançamento do Projeto de Divulgação Cultural do Novo Banco. Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Banca custou ao Estado mais 1,5 mil milhões de euros em 2019, agora ajude

coronavirus portugal antonio costa

Proibidos ajuntamentos com mais de cinco pessoas. Aeroportos encerrados

O primeiro-ministro, António Costa, fala aos jornalistas no final da reunião do Conselho de Ministros após a Assembleia da República ter aprovado o decreto do Presidente da República que prolonga o estado de emergência até ao final do dia 17 de abril para combater a pandemia da covid-19, no Palácio da Ajuda, em Lisboa, 2 de abril de 2020. 
 MÁRIO CRUZ/POOL/LUSA

Mapa de férias pode ser aprovado e afixado mais tarde do que o habitual

Efacec ajuda a construir maior central de biogás da Europa