Efacec

Efacec. Isabel dos Santos reclama “processo transparente”

A empresária Isabel dos Santos, através da participação na Vidatel, é a presidente do conselho de administração da operadora. (FOTO: DR)
A empresária Isabel dos Santos, através da participação na Vidatel, é a presidente do conselho de administração da operadora. (FOTO: DR)

Sociedade da empresária angolana desconhece processo de análise da Comissão Europeia

A Winterfell reclama que o processo de compra de 65% da Efacec foi transparente e que cumpriu as regras aplicadas quer em Portugal quer em Angola. A sociedade de Isabel dos Santos nega também que há um processo de análise da operação pela Comissão Europeia, segundo um comunicado divulgado esta sexta-feira junto das redações.

“A aquisição de uma participação de controlo na Efacec por parte da Winterfell correspondeu a um processo negocial transparente e de mercado […] tendo sido realizado em estrito cumprimento das regras aplicáveis em Portugal e em Angola”, defende a empresa.

A sociedade contraria também a informação adiantada no fim de semana e que dava conta que a Comissão Europeia tinha questionado Portugal em relação a este negócio. “A Winterfell desconhece por completo a existência de qualquer processo de análise, investigação ou inquérito a propósito desta transação, seja em Portugal, seja ao nível da Comissão Europeia”, argumenta.

A Winterfell afasta ainda qualquer apoio do Estado angolano junto da Niara Holding, detida por Isabel dos Santos e acionista na Winterfell. “Não houve nenhum financiamento por fundos públicos, não houve quaisquer subsídios da ENDE à Niara Holding, e não houve, deste modo, apoio financeiro do Estado angolano à Niara Holding ou aporte algum de fundos públicos a favor da Niara Holding. Isabel dos Santos não foi financiada directa ou indirectamente pelo estado angolano, ou recebeu de alguma forma fundos públicos angolanos”.

A Comissão Europeia terá questionado as autoridades portuguesas sobre esta operação, de acordo com uma notícia divulgada no passado sábado. Bruxelas terá, assim dado sequência a uma queixa dos eurodeputados do Intergrupo do Parlamento Europeu sobre Integridade e Transparência, Corrupção e Crime Organizado sobre “a conformidade da compra da empresa portuguesa Efacec por Isabel dos Santos, filha do presidente angolano José Eduardo dos Santos”.

A venda de 66,1% da Efacec Power Solutions (EPS) pelos grupos José de Mello e Têxtil Manuel Gonçalves à empresária angolana Isabel dos Santos foi concluída a 23 de outubro de 2015.

A Efacec Power Solutions agrupa as atividades centrais do grupo Efacec, que inclui a energia, com transformadores, aparelhagem, automação e mobilidade elétrica, e engenharia, registando um volume de negócios de cerca de 500 milhões de euros anuais, tem uma equipa de 2.500 colaboradores e atividade em 80 países.

Os grupos José de Mello e Têxtil Manuel Gonçalves são os acionistas minoritários da EPS, através da sociedade MGI capital.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Foto: EPA/PATRICK SEEGER

Bruxelas dá luz verde a Banco Português de Fomento

Exemplo de ouro numa loja de câmbio em Klaaswaal, Países Baixos. (EPA/ROBIN VAN LONKHUIJSEN)

Ouro atinge recorde e excede os 2 mil dólares

Centenas de turistas visitam todos os dias os jardins do Palácio de Cristal, no Porto. Fotografia: Leonel de Castro/Global Imagens

FMI: Portugal com perdas acima de 2% do PIB devido à quebra no turismo

Efacec. Isabel dos Santos reclama “processo transparente”