Tech

Em 2020, os espaços públicos na UE vão ter internet grátis

Autarquias, bibliotecas e centros de saúde serão as principais entidades de serviço público que poderão concorrer ao apoio comunitário. Fotografia: Rui Manuel Fonseca / Global Imagens
Autarquias, bibliotecas e centros de saúde serão as principais entidades de serviço público que poderão concorrer ao apoio comunitário. Fotografia: Rui Manuel Fonseca / Global Imagens

Medida prevê um financiamento total de 120 milhões de euros para a instalação de equipamentos sem fios

Em 2020, os espaços públicos dos países membros da União Europeia (UE) vão ter internet gratuita sem fios. Isto será possível depois de na segunda-feira o Parlamento Europeu, o Conselho Europeu e a Comissão Europeia terem chegado a um acordo político para arrancar com a iniciativa WiFi4EU.

Esta medida prevê um financiamento total de 120 milhões de euros para a instalação de equipamentos sem fios de ponta em espaços públicos como parques, praças, edifícios públicos, bibliotecas, centros de saúde ou museus. A WiFi4EU é uma das medidas prevista no âmbito da estratégia do mercado único digital.

“Esta iniciativa vai melhorar a conectividade sobretudo em locais onde há acesso limitado à internet. A WiFi4U é um primeiro passo bem-vindo, mas há muito mais a fazer para seja alcançada conectividade de alta velocidade em todo o território da UE”, refere Andrup Ansip, vice-presidente da Comissão Europeia responsável pela estratégia do mercado único digital.

Quem poderá concorrer?

Com o acordo político alcançado, espera-se a abertura das candidaturas ao longo dos próximos meses, assim que forem definidas as fontes de financiamento. Autarquias, bibliotecas e centros de saúde serão as principais entidades de serviço público que poderão concorrer desde que pretendam disponibilizar uma ligação Wi-Fi em zonas onde não exista uma oferta pública ou privada semelhante.

Bruxelas quer incentivar as entidades locais a desenvolver e promover serviços próprios digitais, em áreas como a administração pública, saúde e turismo. Para isso, financia a instalação do equipamento. As entidades locais terão de pagar os custos de ligação à internet e terão de se responsabilizar pela manutenção do equipamento. As candidaturas apenas poderão ser feitas através da internet e os pagamentos serão feitos através de vale.

A Comissão Europeia quer apoiar pelo menos entre 6000 e 8000 comunidades locais nos próximos anos e promover até entre 40 e 50 milhões de ligações por dia com esta iniciativa.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa (E), conversa com o ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno (D), durante o debate parlamentar de discussão na generalidade do Orçamento do Estado para 2020 (OE2020), esta tarde na Assembleia da República, em Lisboa, 09 de janeiro de 2020. MIGUEL A. LOPES/LUSA

Subida do PIB em 2019 chega aos 2,2% com revisão nas exportações de serviços

Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA

Novo Banco prevê redução de 1,7 mil milhões de malparado em 2020

Sede do Novo Banco, ex-BES, na Avenida da Liberdade.
(Ângelo Lucasl / Global Imagens )

Novo Banco não afasta que possa vir a pedir mais capital ao Fundo de Resolução

Em 2020, os espaços públicos na UE vão ter internet grátis