Em dez anos portugueses pagam mais 6,5% pelas telecomunicações. Na UE recua 11%

Os preços das telecomunicações em Portugal - nas diversas ofertas - estão entre os quintos mais caros da União Europeia.

Numa década os portugueses viram subir em 6,5%, até final de outubro, o que pagam em telecomunicações, enquanto na União Europeia, no mesmo período, os preços recuaram 11%, alerta a Anacom citando dados do Eurostat. "Portugal continua a registar preços de retalho das ofertas de serviços de comunicações eletrónicas elevados por comparação com os de outros países da União Europeia", diz o regulador em comunicado, no relatório Evolução dos preços das telecomunicações, de outubro de 2020.

"As diferenças entre a evolução de preços das telecomunicações em Portugal e na UE devem-se sobretudo aos "ajustamentos de preços" que os prestadores implementaram durante vários anos, normalmente nos primeiros meses de cada ano", justifica o regulador.

Globalmente, os preços das comunicações eletrónicas em Portugal são os quintos mais elevados da UE, à frente da Espanha, Grécia, Irlanda e Chipre (3). E o mesmo acontece com os preços das ofertas convergentes (por exemplo os pacotes 4P/5P), que "encontravam-se igualmente na quinta posição entre os preços mais elevados da UE (4)", situação que se repete nos valores pagos pelas serviços móveis individualizados (voz e Internet), "os quintos mais caros da UE", refere o regulador.

Entre os serviços/ofertas considerados no relatório sobre a Evolução dos preços das telecomunicações, hoje divulgado pela Anacom, "as mensalidades mais baixas são oferecidas pela Nowo em sete casos de serviços/ofertas, enquanto a Meo, Nos e Vodafone apresentaram as mensalidades mais baixas para dois tipos de serviços/ofertas", informa.

"A oferta individualizada de acesso à Internet da Nowo é a que apresenta a mensalidade mais baixa (20 euros). A mensalidade da oferta em questão é, pelo menos, 20% mais barata do que as dos restantes prestadores", realça a Anacom. No móvel, a Novo, recorde-se, funciona com operador móvel virtual (MVNO), operando em cima da rede da Meo.

Em comparação com o mês homólogo do ano anterior, a "mensalidade mínima da banda larga fixa individualizada (BLF) aumentou 4,3%, devido ao fim da oferta da primeira mensalidade do serviço base da Nowo; a do serviço telefónico móvel com internet no telemóvel "diminuiu 36,1%, graças à diminuição da mensalidade da oferta da Nowo de 7,5 euros para 5 euros e à introdução da oferta da primeira mensalidade", sendo que no caso da mensalidade mínima dos pacotes quadruple play (4P) recuou 0,4%, devido à alteração da oferta da Nowo.

"Destaca-se, em particular, o aumento da mensalidade da oferta triple play da Meo e NOS em 3,3%. A Vodafone procedeu a idêntico aumento de preços. Este aumento será contabilizado em novembro".

As operadoras já vieram a público desmentir ter havido este aumento de preços nos pacotes 3P.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de