Retalho Alimentar

Em dois anos abriram em Portugal quase 300 supermercados

Os grupos retalhistas têm planos de novas aberturas para o próximo ano. Foto: D.R.
Os grupos retalhistas têm planos de novas aberturas para o próximo ano. Foto: D.R.

Minipreço e Sonae são os grupos que mais têm investido em novas lojas. Volume de vendas do retalho alimentar continua a crescer.

Os grupos de retalho alimentar continuam a expandir a sua presença no país a um ritmo acelerado e essa tendência é para manter. No espaço de dois anos, as principais insígnias do setor abriram 282 supermercados, consolidando a aposta nas lojas de proximidade. Desde janeiro e até à data, as retalhistas inauguraram 154 novos espaços comerciais, mais 26 do que em 2018, revelam os dados do Ministério da Economia. Os grupos Sonae (detém o Continente) e o Dia (explora o Minipreço) foram os que mais supermercados abriram. A espanhola Mercadona, que se estreou no mercado em 2019, já tem nove unidades em operação (a 10.ª será inaugurada dia 12).

Ao comum do cidadão até podem parecer muitos supermercados, mas os principais grupos de retalho alimentar continuam a anunciar novos investimentos. Gonçalo Lobo Xavier, diretor geral da Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED), lembra que “comparativamente com outros países da União Europeia, o rácio de lojas por habitante em Portugal é inferior à média”, o que alavanca as estratégias de expansão dos retalhistas. Como sublinha, “o mercado está muito robusto” e “as insígnias estão a tomar decisões de abertura de novas lojas”. Em 2020, “tudo indica que vai haver renovações e novas aberturas”.

A verdade é que o negócio não pára de crescer, quer em unidades quer em vendas. No ano passado, o retalho alimentar apresentou um volume de negócios de 12,4 mil milhões de euros, com um crescimento de 2,8% face a 2017. Já este ano, a performance dos grandes grupos mantém-se alta, com aumentos globais de vendas até setembro de 5,5%. Para Gonçalo Lobo Xavier, “2019 está a ser um ano bastante bom”, impulsionado pelo incremento do consumo privado do país.

Lojas mais pequenas
Entre os principais retalhistas a operar em Portugal, foi o grupo Sonae que, nestes dois últimos anos, mais investiu na expansão do negócio alimentar, centrando-se nas lojas de proximidade. Neste período, abriu 87 supermercados, entre Bom dia, Go Natural, Meu Super e Modelo. O Minipreço incrementou a sua rede com mais 76 espaços. A Auchan focou-se no incremento do formato My Auchan, tendo alargado a sua presença no território com mais 24 unidades, o mesmo número que soma a Jerónimo Martins com novos Amanhecer e Pingo Doce. O Intermarché contabiliza 11 aberturas.

Na área do hard discount, a alemã Lidl apostou na instalação de mais 29 supermercados e a Aldi totalizou 14. Dentro do conceito de alimentação saudável, o Celeiro está também a apostar na expansão da sua rede, tendo inaugurado mais três lojas.

Segundo informações do Ministério da Economia, “durante o ano de 2018 e em 2019 (até à data), decorreram 3174 procedimentos de instalação/modificação de estabelecimentos comerciais do ramo alimentar”, entre hipermercados, supermercados e lojas especializadas, como peixarias ou talhos, “dos quais 1584 em 2018 e 1592 em 2019”. De referir, que estes dados podem não reportar todos a aberturas, mas a obras de ampliação ou mudança de atividade. Para já, não existem pedidos de abertura para 2020.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Ministro de Estado, da Economia e Transição Digital, Pedro Siza Vieira. TIAGO PETINGA/LUSA

Moratórias bancárias estendidas até final de setembro de 2021

covid-19 portugal corona virus

Emprego público sobe 0,9% com contratações da saúde e oficinas da CP

A ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Mariana Vieira da Silva TIAGO PETINGA/POOL/LUSA

Prorrogada situação de contingência em Portugal continental até 14 de outubro

Em dois anos abriram em Portugal quase 300 supermercados