Resultados

Embraer regista lucro de 5,8 milhões de euros no segundo trimestre do ano

REUTERS/Roosevelt Cassio
REUTERS/Roosevelt Cassio

A Embraer informou ainda que entregou 26 aeronaves comerciais e 25 executivas divididas entre 19 jatos leves e seis grandes entre abril e junho.

A fabricante de aeronaves brasileira Embraer registou um lucro atribuído aos acionistas de 26,1 milhões de reais (5,8 milhões de euros) no segundo trimestre do ano, face ao prejuízo de 134,7 milhões de reais (30 milhões de euros) no primeiro trimestre.

Segundo a Embraer, este é o primeiro lucro trimestral registado desde o 4.º trimestre de 2017.

Nos primeiros seis meses de 2019, a fabricante brasileira acumula um prejuízo líquido ajustado de 287,5 milhões de reais (64,3 milhões de euros).

A Embraer informou ainda que entregou 26 aeronaves comerciais e 25 executivas divididas entre 19 jatos leves e seis grandes entre abril e junho.

Já a carteira de pedidos firmes da companhia atingiu 16,9 mil milhões de dólares (15 mil milhões de euros) no segundo trimestre, valor acima dos 16 mil milhões de dólares (14,3 mil milhões de euros) reportados no primeiro trimestre do ano.

No segundo trimestre de 2019, a Embraer reportou uma geração livre de caixa de 2,8 milhões de reais (630 mil euros), número inferior ao registado do mesmo período do ano passado quando obteve 159,7 milhões de reais (35,7 milhões de euros).

No balanço, a Embraer sinalizou que “espera que no segundo semestre do ano a geração livre de caixa melhore dada a expetativa de aumento nas entregas de aeronaves e nas entradas de caixa relacionadas a contratos de Defesa e Segurança”.

A fabricante de aeronaves brasileira encerrou o segundo trimestre do ano com uma posição de caixa total de 9,4 mil milhões de reais (2,1 mil milhões de euros) e um total de financiamentos de 13,6 mil milhões de reais (3 mil milhões de euros), resultando em uma dívida líquida de 4,1mil milhões de reais (920 milhões de euros).

Em fevereiro, os acionistas da Embraer aprovaram o acordo sobre a venda da divisão comercial da empresa à fabricante de aeronaves norte-americana Boeing.

O acordo estipula que a Boeing deverá pagar 4,2 mil milhões de euros (3,7 mil milhões de euros) para obter 80% da nova companhia e a Embraer ficará com os 20% restantes. A expectativa é que, até o fim deste ano, o negócio seja concluído.

A Embraer é fabricante e líder mundial de aeronaves comerciais com até 150 assentos e tem mais de 100 clientes em todo o mundo.

A empresa brasileira mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

Em Portugal, no Parque de Indústria Aeronáutica de Évora, funcionam duas fábricas da Embraer, sendo que a empresa também é acionista da OGMA – Indústria Aeronáutica de Portugal, com 65% do capital, em Alverca.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Exportações, TIC, Taiwan

Portugal exporta mais talento e tecnologia. Taiwan ganha força

Lisboa, 19/7/2019 - Eduardo Marques, Presidente da AEPSA- Associação das Empresas Portuguesas para o Sector do Ambiente-  uma associação empresarial, criada em 1994, que representa e defende os interesses coletivos das empresas privadas com intervenção no setor do ambiente,
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Eduardo Marques. “Há um grande espaço para aumentar as tarifas da água”

Jorge Leite. Fotografia: CGTP-IN

Morreu Jorge Leite, o jurista do Trabalho que defrontou a troika

Outros conteúdos GMG
Embraer regista lucro de 5,8 milhões de euros no segundo trimestre do ano