estacionamento

EMEL. Quase 3000 novos lugares a 50 cêntimos por dia

Fotografia: D.R.
Fotografia: D.R.

A EMEL quer que os automobilistas deixem as suas viaturas à entrada de Lisboa e sigam para o centro de transportes públicos.

A EMEL quer criar parques de estacionamento dissuasores à entrada de Lisboa, a um preço de 50 cêntimos por dia. A ideia é fazer com que os automobilistas deixem as suas viaturas fora da cidade e se desloquem no centro apenas de transportes públicos.

Em entrevista ao Público, Luís Natal Marques, presidente da Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa, indica que “estes 50 cêntimos compara com o quê? Compara, por exemplo, com alguém que entra na cidade, vai para uma zona em que a tarifação é verde – são 80 cêntimos por hora – e das 9h às 19h são oito euros. Na zona amarela são 11,20 euros. Na zona vermelha são 16 euros. Este diferencial é suficientemente interessante para que quem entre na cidade, em vez de penetrar para o centro, possa deixar o carro na periferia e utilizar um outro meio de transporte.”

Leia aqui: Sintra vai reforçar estacionamento e apostar na mobilidade elétrica

O valor será válido para todos os automobilistas que apresentem um título de transporte público válido. Neste momento, a EMEL está já a trabalhar na construção do primeiro parque, na Ameixoeira, com 500 lugares, estando previstas ainda a construção de outros três: Pontinha (2000 lugares), Areeiro (300) e em Pedrouços (150).

Ao mesmo tempo, ao empresa municipal está ainda a negociar preços mais baratos com as empresas privadas que gerem os parques do Estádio da Luz (800 lugares), do Estádio de Alvalade (200) e do Pingo Doce da Bela Vista (370).

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ex-presidente do BPN, José Oliveira Costa. Fotografia: Rodrigo Cabrita/Global Imagens

Finanças. Antigo BPN está a ajudar a reduzir défice deste ano

Vieira da Silva e Cláudia Joaquim
Fotografia: Leonardo Negr‹ão / Global Imagens

Governo admite eliminar factor de sustentabilidade noutros tipos de pensões

O ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva  JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Regras das pensões antecipadas que existem em 2018 vão manter-se

Outros conteúdos GMG
EMEL. Quase 3000 novos lugares a 50 cêntimos por dia