Empark

Empark estuda França e quer mais mercado turco

Nurettin Korkut, diretor geral da Ispark, à esquerda de Paulo Nabais, diretor geral da Empark. Fotografia: Leonardo Negrã‹o/Global Imagens
Nurettin Korkut, diretor geral da Ispark, à esquerda de Paulo Nabais, diretor geral da Empark. Fotografia: Leonardo Negrã‹o/Global Imagens

Gestora portuguesa de parques de estacionamento toma conta do estacionamento no Porto a 1 de março

A Empark quer reforçar em 2016 o estatuto de uma das maiores empresas europeias na gestão de estacionamento. Para isso, prevê aumentar a presença na Turquia e está a estudar já a entrada em França.

A Turquia é, para já, o mercado mais avançado. Ao ponto de nos últimos dois dias a Empark ter feito um encontro com a Ispark, a maior empresa de Istambul na gestão de estacionamento. Reunião ao mais alto nível que, além de contar com o diretor-geral da empresa, Nurettin Korkut, teve a presença do assessor da câmara local.

“Queremos perceber o comportamento da Empark no mercado. Sabemos que [na Turquia] gere parques de estacionamento em centros comerciais e sabemos muito bem que a empresa vai maximizar estes investimentos no futuro. Na Ispark, como empresa municipal, estamos contentes por este envolvimento. Vemos que há muito interesse neste mercado”, adianta Nurettin Korkut ao DinheiroVivo.

Paulo Nabais quer que a Empark reforce a presença da empresa em Istambul, que tem “centenas de milhares de lugares de estacionamento na via pública” e onde é necessário estar “bem e em parceria”.

A Ispark, que emprega cerca de 2400 pessoas, além de gerir estacionamentos, tem heliportos, serviços partilhados de bicicletas, portos e marinas. “Com esta partilha de conhecimento, nós queremos estar na linha da frente da colaboração” com a Ispark, diz o diretor-geral da Empark, Nurettin Korkut ao Dinheiro Vivo.

França em estudo
A Empark, além de procurar estender o negócio a cidades turcas como Ancara e Esmirna, também está já a olhar para o mercado francês.

 

Paulo Nabais, diretor geral da Empark. Fotografia: Leonardo Negr‹ão/Global Imagens

Paulo Nabais, diretor geral da Empark. Fotografia: Leonardo Negr‹ão/Global Imagens

“França é o país que está na linha da frente. Pode vir a ser um mercado para a Empark”, ambiciona Paulo Nabais. “Há uma lei desde janeiro que despenaliza o estacionamento na via pública, o que permite a entrada dos privados.”

Este ano vai ficar ainda marcado pela implementação da concessão de estacionamento na via pública do Porto. “Vai ser a concessão mais avançada a nível tecnológico e fiscal de todo o país.”
Estes projetos reforçam a solidez daEmpark e afastam potenciais ofertas de compra, chegou a ser negociada com os… franceses da Vinci Park, em meados de 2015.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
coronavirus lay-off trabalho emprego desemprego

Empresas com quebras de 25% vão poder pedir apoio à retoma

Balcão da ADSE na Praça de Londres em Lisboa.

( Jorge Amaral/Global Imagens )

ADSE quer 56 milhões do Orçamento do Estado por gastos com isentos

Fotografia: Miguel Pereira / Global Imagens

Quase 42 mil empresas recorreram a apoios que substituíram lay-off simplificado

Empark estuda França e quer mais mercado turco