estacionamento

Empark vence gestão do estacionamento no Aeroporto de Gatwick

Empark reforça operações no Reino Unido
Empark reforça operações no Reino Unido

A empresa portuguesa Empark ganhou a gestão do estacionamento do aeroporto de Gatwick, um contrato de cerca de 70 milhões de euros (50 milhões de libras) por um período de cinco anos, reforçando as operações no Reino Unido.

Em causa está um contrato de gestão do estacionamento do segundo maior aeroporto do Reino Unido, que contabiliza cerca de 40.000 lugares, que se junta à gestão do aeroporto de Stansted e Edimburgo, de um total de 24 aeroportos em toda a Europa (Lisboa, Porto e Faro incluídos).

Em declarações à Lusa, o diretor geral da Empark Portugal, Paulo Nabais, explicou que este novo contrato é “muito importante”, e vem quase duplicar o tamanho das operações britânicas da Empark, tendo o número de espaços concessionados aumentado para mais de 80.000 lugares.

A Empark foi escolhida após “um processo de concurso internacional exaustivo”, que valorizou a necessidade de um serviço de qualidade para melhorar a experiência do passageiro, bem como a capacidade de se adaptar e expandir o serviço, acompanhando o crescimento do aeroporto.

O contrato tem a duração de cinco anos, podendo ser prolongado por mais dois em função do desempenho, isto é, se o nível de serviço prestado for ao encontro das expetativas.

“A nossa reputação de oferecer alta qualidade e serviços inovadores tem sido reconhecida e estamos ansiosos para continuar essa tradição, oferecendo serviços novos, melhores e inovadores em Gatwick”, acrescentou.

A empresa portuguesa, líder em estacionamento na Península Ibérica, maioritariamente detida pelo Grupo A. Silva & Silva, entrou no mercado do Reino Unido em 2008, quando assumiu o controlo do estacionamento em Londres Stansted.

Este grupo está a tentar desde há um ano a empresa portuguesa de parques de estacionamento. O processo, contudo, está suspenso desde 2 de julho, após a falta de acordo entre todas as partes para a alienação da Empark à Infra Foch, a holding que detém a Vinci Park.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
coronavirus lay-off trabalho emprego desemprego

Empresas com quebras de 25% vão poder pedir apoio à retoma

Balcão da ADSE na Praça de Londres em Lisboa.

( Jorge Amaral/Global Imagens )

ADSE quer 56 milhões do Orçamento do Estado por gastos com isentos

Fotografia: Miguel Pereira / Global Imagens

Quase 42 mil empresas recorreram a apoios que substituíram lay-off simplificado

Empark vence gestão do estacionamento no Aeroporto de Gatwick