Empresa da família Mello cria fundo imobiliário para investidores chineses

A Selecta, a gestora de fundos imobiliários detida pela família José de Mello, criou um novo fundo - o Imoecadint - destinado a investidores chineses que terão 30 milhões de euros para aplicar na compra de imóveis na Europa e, principalmente, em Portugal e Espanha.

O primeiro subscritor deste fundo é a Ecadint, uma sociedade de investimento internacional chinesa com vários imóveis em Angola – como os estádios do Campeonato Africano das Nações – e já com uma presença em Lisboa desde 2011. Mas “posteriormente o capital será aberto a terceiros”.

De acordo com o presidente da Selecta, José António de Mello, no final do mês vão a Xangai para reunir com cerca de 100 empresas e angariar mais investidores para o fundo uma vez que a Ecadint não subscreveu a totalidade dos 30 milhões de euros, mas apenas “uma parte significativa” que “ainda não se pode revelar”.

Além disso, estão previstos novos aumentos de capital, numa primeira fase até 50 milhões de euros e a longo prazo de 150 milhões.

De acordo com José António de Mello, o criação deste novo fundo tem como objetivo aproveitar o recente interesse dos investidores chineses na Europa e, em particular, em Portugal e Espanha, dois países em recuperação económica, com activos de qualidade e bons rendimentos.

Aliás, o que este novo fundo procura são precisamente “imóveis de rendimento” como escritórios e lojas e talvez edifícios da área do turismo ou mesmo ativos dos bancos. “A vocação dos bancos não é gerir ativos imobiliários, mas sim os depósitos dos clinetes e Selecta acredita que as sociedades gestoras de fundos é devem gerir esses activos que têm de sair dos portfolios”, diz José António de Mello.

Contudo, alerta o administrador da Selecta, Luís d’Almeida, a empresa está “à procura de ativos com qualidade e arrendados e os bancos têm alguns imóveis que não nos interessam como terrenos devolutos ou fábricas”.

O Imoecadint é o 11º fundo da Selecta que neste momento tem já 615 milhões de euros de ativos sob gestão. Tem ainda presença em Espanha e no Brasil.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Gerardo Santos/Global Imagens

Saídas para a reforma disparam 43% na função pública

Foto: DR

EDP flexibilizou pagamento de faturas no valor de 60 milhões de euros

Ministro de Estado, da Economia e Transição Digital, Pedro Siza Vieira. TIAGO PETINGA/LUSA

Moratórias bancárias estendidas até final de setembro de 2021

Empresa da família Mello cria fundo imobiliário para investidores chineses