Endesa escolhe empresa portuguesa para demolir central térmica de Compostilla

A Recifemetal - Reciclagem de Ferros e Metais, de Arruda dos Vinhos, vai ter a operação, "de grande complexidade técnica", a seu cargo. O contrato é de 62 milhões de euros. Demolição vai levar cerca de quatro anos

A Endesa adjudicou à Recifemetal, empresa do grupo português Ambigoup, o desmantelamento da central térmica de Compostilla, situada em Cubillos del Sil, uma "operação de grande complexidade técnica", que vai levar cerca de quatro anos e envolver, diretamente, cerca de 130 pessoas. Em causa está um contrato superior a 62 milhões de euros.

Em comunicado, a Endesa dá conta que os trabalhos prévios arrancam já no próximo mês e que a equipa que irá desenvolver os trabalhos de desmantelamento será composta, maioritariamente, por trabalhadores de antigas empresas contratadas da central térmica de Compostilla ou residentes na comarca de Bierzo. A incorporação de trabalhadores locais foi um dos fatores a que deu prioridade na adjudicação da obra.

"Para realizar a gestão integral de desmantelamento será aplicado um sistema de demolição seletiva para separar e caracterizar cada uma das 266.870 toneladas que integram o volume da demolição. Este método, aliado à aplicação da economia circular na gestão de resíduos, permitirá um aproveitamento máximo dos resíduos, quer para a sua posterior reutilização, dando-lhes uma segunda utilização, quer como matéria-prima, minimizando assim a fração destinada a aterro", pode, ainda, ler-se no comunicado.

A Endesa garante, ainda, que será implementado um "plano exaustivo de vigilância ambiental", com atenção especial para as emissões e descargas durante a execução das tarefas de desmantelamento da centrais, de modo a "reduzir ao máximo" os efeitos sobre o meio ambiente da operação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de