eletricidade

Endesa quer duplicar número de clientes em Portugal até 2019

REUTERS/Andrea Comas
REUTERS/Andrea Comas

A energética espanhola Endesa quer duplicar o número de clientes de eletricidade e de gás natural em Portugal até 2019

A energética espanhola Endesa quer duplicar o número de clientes de eletricidade e de gás natural em Portugal até 2019, através de um reforço no segmento doméstico e empresarial, segundo o plano estratégico divulgado hoje.

De acordo o documento, a companhia espanhola, detida na sua maioria pela italiana Enel, quer reforçar a presença no mercado português sobretudo como comercializador de eletricidade, definindo como meta aumentar de 7,5 terawatts hora (TWh) em 2016 para os 8,9 TWh em 2019, um acréscimo de 1,4TWh dos 6TWh previstos no global.

Além do aumento da venda de energia elétrica, a Endesa quer duplicar o número de clientes, passando dos 200 mil no final de 2016 para 400 mil em 2019, através do reforço dos clientes domésticos, mas também dos empresariais empresariais.

No mercado elétrico, a Endesa tinha em junho uma quota de 3,5% em número de clientes e de 17% em termos de consumos, segundo o relatório da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), liderando o segmento de clientes industriais com uma quota de 26%.

Também no negócio do gás natural, a Endesa quer duplicar o número de clientes até 2019, acompanhado por um acréscimo dos 3,7TWh para os 4,9TWh em Portugal.

A Endesa estreou-se em 2015 no abastecimento de gás natural a consumidores domésticos após cinco anos de fornecimento a clientes industriais.

A estratégia de crescimento no mercado português deverá acontecer também pela via inorgânica, através da aquisição de carteiras de clientes de eletricidade e de gás natural, lê-se no plano estratégico da Endesa divulgado hoje.

Até 2019, a Endesa pretende investir 4.700 milhões de euros, sendo 44% deste valor (2.086 milhões de euros) destinado a projetos de crescimento com enfoque na área das renováveis e das redes.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Mário Centeno, ministro das Finanças e presidente do Eurogrupo. Fotografia: EPA/STEPHANIE LECOCQ

Peso da despesa com funcionários volta a cair para mínimos em 2020

26/10/2019 ( Nuno Pinto Fernandes/ Global Imagens )

Conselho de Ministros aprovou Orçamento do Estado

Marcelo Rebelo de Sousa, Christine Lagarde e Mário Centeno. Fotografia: MIGUEL FIGUEIREDO LOPES/LUSA

Centeno responde a Marcelo com descida mais rápida do peso da dívida

Outros conteúdos GMG
Endesa quer duplicar número de clientes em Portugal até 2019