Especialista em covid-19 recebeu mais de 385 mil euros de farmacêuticas

Filipe Froes recebeu a soma de mais de duas dezenas de farmacêuticas pela sua participação em palestras e como consultor. O pneumologista é consultor da DGS, membro do Conselho Nacional de Saúde Pública e habitual comentador nos media.

Filipe Froes, pneumologista e comentador sobre covid-19, recebeu mais de 385 mil euros de 24 farmacêuticas pela sua participação em palestras e serviços como consultor.

A notícia é avançada esta sexta-feira pelos jornais Expresso e Novo, depois de o caso ter sido divulgado pelo ex-jornalista Pedro Almeida Vieira com base em dados disponíveis na plataforma da transparência e publicidade do Infarmed. O Expresso noticia que o especialista recebeu uma verba superior a 385 mil euros e o Novo avança que Froes recebeu mais de 300 mil euros.

A verba paga diz respeito ao período entre 2013 e agosto de 2021, tendo a Pfizer sido a farmacêutica que mais pagamentos fez ao especialista, no valor de 146 748 euros, segundo as contas do Expresso. Só entre 2020 e 2021, Filipe Froes recebeu da Pfizer 26 407 euros para participar em reuniões médicas, palestras e congressos.

O pneumologista é consultor da Direção-Geral da Saúde (DGS), coordenador do Gabinete de Crise da Ordem dos Médicos, membro do Conselho Nacional de Saúde Pública e perito da Comissão Técnica Nacional de Vacinação da DGS. O médico é também um habitual comentador nos media sobre a covid-19.

Ao Expresso, Filipe Froes garante que todas as suas intervenções na comunicação social, no gabinete de crise da Ordem dos Médicos ou a nível pessoal "foram sempre de caráter técnico e científico, baseadas na melhor evidência disponível e independentes". Esclarece também que há mais de 20 anos que participa de forma remunerada em palestras e formações nacionais e internacionais organizadas pela indústria sobre temas médicos diversos, serviços e atos isolados.

O presidente do Conselho Nacional de Ética e Deontologia Médica da Ordem dos Médicos, Manuel Mendes Silva, questionado sobre se Filipe Froes e outros médicos devem informar, antes de cada intervenção na comunicação social, sobre se foram remunerados por farmacêuticas, afirma que esse esclarecimento já é feito publicamente na referida página do Infarmed, já que a sua consulta é pública, estando acessível a qualquer "entidade ou cidadão".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de