Empresas

Bilionário Mark Cuban paga 565 mil euros por negócio de caixas vazias

Mark Cuban.    REUTERS/Mike Blake/File Photo
Mark Cuban. REUTERS/Mike Blake/File Photo

A Prank-O vende caixas vazias ilustradas com produtos bizarros que servem de embrulho para presentes reais.

Este fim de semana, o tubarão Mark Cuban investiu 640 mil dólares (cerca de 565 mil euros) por 25% de uma empresa que vende… caixas vazias. Mas não são umas caixas quaisquer. A empresa chama-se Prank-O e vende caixas vazias para colocar presentes.

A particularidade destas caixas é que ilustram produtos estranhos ou bizarros como, por exemplo, umas pantufas que limpam o pó para cães, um kit para as crianças chamado “A Minha Primeira Fogueira”, ou até uma impressora para imprimir fotografias em fatias de queijo. O objetivo é pregar uma partida: a pessoa é surpreendida pela estranheza do presente, quando na verdade é apenas o embrulho.

Prank-O

 

Desde o início, em 2013, a Prank-O faturou 10 milhões de dólares (8,82 milhões de euros), sendo que só este ano já faturou 2,8 milhões (2,47 milhões de euros), segundo o CNBC. As caixas custam sete dólares cada (6,18 euros, aproximadamente) e são vendidas em grandes retalhistas e online.

Os fundadores, Arik Nordby e Ryan Walther, revelaram aos investidores do “Shark Tank” que também tentaram reproduzir fisicamente os produtos que ilustravam nas caixas, mas a experiência não correu muito bem. A brincadeira acabou com um dívida de um milhão de dólares e a empresa encontra-se atualmente com um crédito em mãos.

Os dois empreendedores procuravam um investimento de 640 mil dólares por apenas 8% da empresa. No entanto, acabaram por aceitar a proposta de Mark Cuban, que achou a ideia “brilhante”.

Foto: Prank-O (D.R.)

Foto: Prank-O (D.R.)

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
TimVieira_1-1024x683

“Fui quem mais investiu e mais perdeu no Shark Tank. E também quem ganhou mais”

João Lourenço, Presidente de Angola. Fotografia: ESTELA SILVA/LUSA

Dívida externa angolana financiou “enriquecimento ilícito de uma elite”

Lisboa, 12/06/2019 - Mariana Vieira da Silva, ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, fotografada esta tarde nos estúdios da TSF, durante uma entrevista 'A Vida do Dinheiro'  TSF/Dinheiro Vivo.
( Gustavo Bom / Global Imagens )

Mariana Vieira da Silva: Repetir a geringonça “é possível e desejável”

Outros conteúdos GMG
Bilionário Mark Cuban paga 565 mil euros por negócio de caixas vazias