EUA alargam investigação a carros a gasóleo: novas marcas, 28 modelos

Será que o grupo Volkswagen foi o único a manipular as emissões? Os EUA alargam as investigações

Há mais 28 modelos de carros a gasóleo sob investigação dos Estados Unidos. A Agência de Proteção Ambiental (EPA, na sigla original) vai verificar se estes automóveis têm dispositivos semelhantes aos usados pela Volkswagen em 11 milhões de veículos em todo o mundo.

BMW, Chrysler, grupo General Motors, Land Rover e Mercedes são algumas das empresas envolvidas neste processo, segundo o Financial Times. Querem entender se o grupo Volkswagen foi o único a instalar software que manipula as emissões entre os testes de laboratório e a condução real.

Entre os modelos testados está, por exemplo, o BMW X3, automóvel que foi referido na semana passada pela revista alemã da especialidade AutoBild por causa da emissão de gases 11 vezes superior ao máximo permitido nas normas da UE (Euro6). O todo-o-terreno Chrysler Grand Cherokee, o Chevrolet Colorado, o Range Tover TDV6 e a berlina Mercedes E250 BlueTec também serão testados.

A EPA vai, primeiro, testar apenas um veículo por cada modelo. A agência, posteriormente, irá alargar este testes a mais veículos para verificar se existe algum elemento suspeito, indicou um responsável à publicação britânica.

Estão a ser usados, para estes testes, veículos alugados ou emprestados. A entidade, em troca, oferece carros suplementares e lavagens ou mudanças de óleo.

A agência norte-americana avisou as construtoras na semana passada que iria aumentar a verificação das emissões de todos os carros vendidos no país. Medida tomada na sequência do escãndalo de manipulação de emissões da Volkswagen. Dispositivos encontrados em 482 mil carros neste mercado e que despoletaram o caso a nível mundial.

(Notícia atualizada pela última vez às 12h18)

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Indústria do calçado. 
Fotografia: Miguel Pereira/Global Imagens

Portugal regressou ao Top 20 dos maiores produtores de calçado

Alexandre Meireles, presidente da ANJE. Fotografia:  Igor Martins / Global Imagens

ANJE teme que 2021 traga “grande vaga” de falências e desemprego

Mina de carvão perto da cidade de Oaktown, Indiana, Estados Unidos. (EPA/TANNEN MAURY)

Capacidade de produção de carvão caiu pela primeira vez

EUA alargam investigação a carros a gasóleo: novas marcas, 28 modelos