DieselGate

Ex-CEO da Volkswagen acusado de fraude no caso Dieselgate

Martin-Winterkorn-aaa22222-bd5bd5f12fc5b0853da0e4b40bb8420bdd60dd8d

A acusação alega que Martin Winterkorn já tinha conhecimento do esquema de manipulação antes de a polémica vir a público.

Martin Winterkorn, que foi CEO do grupo Volkswagen entre 2007 e setembro de 2015, foi acusado nos Estados Unidos de conspiração e fraude no escândalo que envolve a construtora no âmbito da emissões poluentes e consequente violação da Clean Air Act.

A acusação, divulgada na quinta-feira, alega que Winterkorn, sabia da manipulação de emissões nos veículos da empresa, antes mesmo da própria Volkswagen ter admitido a adulteração de milhões de carros a diesel, em setembro de 2015, avança a Bloomberg.

A Volkswagen equipou os veículos com um dispositivo de controlo que indicava que as emissões poluentes estariam dentro dos valores previsto pela lei.

Winterkorn abandonou o cargo de chefe executivo da Volkswagen dias depois da revelação do escândalo, em 2015, tendo sido substituído por Mathias Müller que, entretanto, também já abandonou o cargo.

Em todo o mundo, a fraude cometida pelo grupo afetou cerca de 11 milhões de veículos, dos quais oito milhões na Europa.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Trump Xi China

Trump ameaça Pequim e ordena às empresas: “saiam da China”

Emmanuel Macron, presidente francês. Fotografia: Direitos Reservados

Fogos na Amazónia: França e Irlanda ameaçam bloquear acordo com Mercosul

O ministro do Ambiente e da Transição Energética, João Pedro Matos Fernandes, intervém durante uma conferência de imprensa para fazer o ponto de situação sobre a crise energética, no Ministério do Ambiente e da Transição Energética, em Lisboa, 13 de agosto de 2019. JOÃO RELVAS / LUSA

Ministro do Ambiente: “Há cada vez mais condições” para que greve não aconteça

Outros conteúdos GMG
Ex-CEO da Volkswagen acusado de fraude no caso Dieselgate