correios

Express2Me. Vai poder fazer encomendas em 200 mil lojas online do Reino Unido

Correios entram em bolsa a 5 de dezembro
Correios entram em bolsa a 5 de dezembro

O serviço, que permite que os clientes façam encomendas em lojas online nos EUA que não fazem expedição, para Portugal

Os CTT vão alargar o serviço Express2Me a cerca de 200 mil lojas online do Reino Unido que não fazem envios para Portugal. O operador postal avançou o ano passado com o mesmo serviço para os Estados Unidos, dando acesso a mais de meio milhão de lojas online neste mercado.

“O comércio eletrónico e o Expresso & Encomendas são claramente uma aposta para alavancar o crescimento dos CTT. O alargamento do serviço Express2Me para o Reino Unido permite apostar num mercado onde o comércio eletrónico é muito relevante e mais tem crescido”, Alberto Pimenta, diretor de E-Commerce dos CTT, citado em nota de imprensa. O serviço está disponível para encomendas até 20kg e dimensões máximas de 90cm no comprimento, largura ou profundidade.

O segmento de encomendas e correio expresso cresceu até março 21,8%, para 36,5 milhões de euros. Uma das área de crescimento do operador postal que fechou o primeiro trimestre com uma quebra de 48,2% dos lucros, para 5,4 milhões.

Nos Estados Unidos o serviço “conta já com cerca de quatro mil clientes registados, que utilizam o serviço com regularidade estando a adesão a crescer”, informa fonte oficial dos CTT.

Para utilizar o serviço, os interessados terão de fazer o registo com uma conta CTT no site do Express2Me, passando a ter uma morada internacional que deverá ser usada nas lojas online sempre que se pretender usar esse serviço. A morada de faturação deve ser a portuguesa. “Após a chegada e processamento da encomenda no entreposto dos CTT no Reino Unido, o cliente será notificado via email para efetuar o pagamento do envio para Portugal”, clarifica os CTT.

Após o pagamento, o envio das encomendas e entrega na sua morada demora 3 a 5 dias úteis.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Futebol

O 11 mais valioso da liga não chegava para pagar as obrigações das SAD

Entrevista TSF / Dinheiro Vivo a Henrique Santos.
(Adelino Meireles/ Global Imagens)

Henrique Santos: “Empresas que violam dados não deviam ter aberto portas”

Fonte: Comissão Europeia

“É difícil prever quanto dinheiro irá para os hospitais”

Outros conteúdos GMG
Express2Me. Vai poder fazer encomendas em 200 mil lojas online do Reino Unido