media

F1 no novo Eurosport 2 Xtra vai ser premium

Fotografia: Srdjan Suki/Reuters
Fotografia: Srdjan Suki/Reuters

Operadores vão oferecer conteúdos adicionais para além das corridas. Novo canal vai ser premium na Meo, NOS e Vodafone.

O Eurosport 2 Xtra, o canal que vai passar a ter os conteúdos de Fórmula 1, vai ser premium nos três principais operadoras de televisão paga, apurou o Dinheiro Vivo. Os preços deverão oscilar entre os 5 e os 7 euros, consoante os conteúdos adicionais fechados com os operadores.

Há alguns meses que o grupo Discovery, dono do Eurosport, vinha a negociar os operadores passar os conteúdos de F1 para um canal premium, uma forma de rentabilizar os conteúdos pelos quais terá pago seis milhões de euros pelos direitos televisivos para o mercado português até 2018, tal como avançou o Dinheiro Vivo. Desde março que as corridas de F1 vinham a ser transmitidas no Eurosport 2 HD, um canal em sinal aberto.

Situação que vai mudar a partir da próxima semana, pelo menos para os clientes dos três grandes operadores que venham a aderir aos Eurosport 2 Xtra, que terão acesso a conteúdos extra. Na Cabovisão, ao que foi possível apurar, o canal estará na oferta base, transmitindo os conteúdos do Eurosport 2 Xtra (incluindo corridas e programa/comentário em estúdio), mas sem os conteúdos adicionais.

Já nos três grandes – Meo, NOS e Vodafone – o valor do canal deverá oscilar entre os 5 e os 7 euros, consoante os operadores e de acordo com com os conteúdos fechados. Entre os conteúdos extra do novo canal previstos está um “serviço de multi-câmaras através do qual terão a possibilidade de escolha entre diferentes sinais, incluindo imagens do interior dos cockpits ou da linha das boxes, ou ainda conteúdos extra, como o que permite configurar ‘a sua própria corrida” em diferentes dispositivos (TV, Smartphone, PC, Tablet)”, informou a Discovery em comunicado.

Esses conteúdos serão assegurados através do Eurosport 360º (serviço de multi-câmaras do Eurosport) e através do Eurosport Player (aplicação on-line do grupo), explica a Discovery.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Assembleia da República. Fotografia: António Cotrim/Lusa

Gestores elegem medidas para o novo governo

Joana Valadares e a sócia, Teresa Madeira, decidiram avançar em 2015, depois do encerramento da empresa onde trabalhavam há 20 anos. Usaram o Montante Único para conseguir o capital necessário e a Mimobox arrancou em 2016. Já quadruplicaram o volume de negócios. (Foto cedida pelas retratadas)

Desempregados que criam negócios geram mais emprego

Salvador de Mello, CEO do grupo CUF (Artur Machado/Global Imagens)

CUF vai formar alunos médicos de universidade pública

Outros conteúdos GMG
F1 no novo Eurosport 2 Xtra vai ser premium