Emprego

Fábrica de canábis medicinal cria 200 postos de trabalho em Cantanhede

mercado de canábis medicinal chegue aos três mil milhões de euros

Tradição e conhecimentos nas áreas agrícolas e florestais foram razões para escolha de Portugal.

A primeira fábrica em território nacional de produção de canábis medicinal vai assegurar 200 postos de trabalho até ao final do ano, anunciou hoje o presidente executivo (CEO) da Tilray, um investimento de 20 milhões de euros em Cantanhede.

Afirmando-se como pioneira mundial na pesquisa, cultivo, produção e distribuição de canábis medicinal, a canadiana Tilray escolheu Portugal para implantar a sua unidade (campus) na Europa, inaugurada esta manhã com a presença de Eurico Brilhante Dias, secretário de Estado da Internacionalização.

“Estamos muito entusiasmados por comemorar outro marco na expansão da nossa presença e pioneirismo global no setor da canábis. Estamos muito agradecidos pela calorosa receção que recebemos em Portugal e na cidade de Cantanhede”, disse Brendan Kennedy, CEO da Tilray.

Kennedy adiantou que para a escolha de Portugal foi fundamental a sua “força de trabalho”, a tradição e conhecimentos nas áreas agrícolas e florestais e a atitude das autoridades nacionais em relação ao consumo de drogas leves, como a canábis.

“Estamos numa altura de mudança de paradigma. Estamos a passar da proibição para a legalização”, referiu o CEO, elogiando o exemplo bem-sucedido de Portugal, que em 2001 descriminalizou o consumo de drogas.

O secretário de Estado deu as boas-vindas à Tilray, que tem como consultor o antigo ministro socialista e presidente da Assembleia da República Jaime Gama.

“Este é um investimento alinhado com a política de crescimento do Governo”, disse Brilhante Dias, reforçando que a nova fábrica cria postos de trabalho e vai contribuir para as exportações, essenciais para o equilíbrio do Produto Interno Bruto (PIB) nacional.

O governante frisou que investimentos deste género são essenciais para manter em Portugal mão-de-obra jovem e muito qualificada e para convencer a regressar ao país aqueles que foram forçados a emigrar por causa da crise ou falta de oportunidades.

O Campus da Tilray em Portugal é uma unidade de produção multifacetada que inclui locais de cultivo internos, ao ar livre e em estufa, bem como laboratórios de pesquisa, processamento, embalagem e distribuição de canábis medicinal e produtos médicos derivados de canabinoides.

A unidade funciona sob rigorosas medidas de segurança, sendo o acesso controlado por equipas de segurança e por vedações com arame farpado. A fábrica emprega no arranque 109 pessoas, número que deverá duplicar até ao final do ano com a expansão de novas colheitas.

A Tilray de Cantanhede também serve como centro de apoio aos esforços de pesquisa clínica e desenvolvimento de produtos da Tilray em toda a Europa, beneficiando da proximidade do Biocant, o primeiro parque de biotecnologia em Portugal cujo objetivo principal é patrocinar, desenvolver e aplicar o conhecimento avançado na área das ciências da vida, apoiando igualmente iniciativas empresariais de elevado potencial.

A Tilray diz responder atualmente a dezenas de milhares de doentes e consumidores em 12 países, abrangendo cinco continentes.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
16. Empregados de mesa

Oferta de emprego em alta no verão segura aumento de salários

Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (Fotografia: José Coelho/ Lusa)

Marcelo aprova compra do SIRESP. Governo fica com “acrescidas responsabilidades”

draghi bce bancos juros taxas

BCE volta a Sintra para o último Fórum com Draghi na liderança

Outros conteúdos GMG
Fábrica de canábis medicinal cria 200 postos de trabalho em Cantanhede