Fogos trágicos

Fábricas da Sonae Arauco de Oliveira do Hospital e Mangualde encerradas

Fotografia: Arquivo/Global Imagens
Fotografia: Arquivo/Global Imagens

Os danos estarão confinados aos parques de madeira e zonas limítrofes, informa a empresa em comunicado

As fábricas da Sonae Arauco em Oliveira do Hospital e Mangualde foram encerradas na madrugada de segunda-feira devido aos incêndios na região centro. A informação foi dada através de comunicado enviado pela Sonae Indústria – que detém em 50% a Sonae Arauco – à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). Está por conhecer a dimensão dos estragos mas a empresa garante que estas unidades têm seguros contra perdas.

“Sonae Indústria, SGPS, SA informa que os graves incêndios que estão a afetar a zona centro de Portugal atingiram, durante esta madrugada, as fábricas de Oliveira do Hospital e Mangualde, propriedade de uma participada integral da Sonae Arauco, SA, sociedade detida em 50% por esta sociedade. A atividade das referidas fábricas encontra-se encerrada”, refere a empresa.

A Sonae Indústria refere também que “de acordo com a informação atualmente existente os danos estarão confinados aos parques de madeira e zonas limítrofes”. Avaliação mais detalhada sobre os danos será efetuada “logo que seja possível o acesso sem restrições à totalidade das instalações”.

A empresa acrescenta: “estamos a desenvolver todos os esforços no sentido de minimizar o impacto para os nossos clientes, colaboradores e fornecedores e disponibilizaremos informação atualizada a qualquer momento”, adianta fonte oficial ao Dinheiro Vivo.

Os títulos da Sonae Indústria estão a descer 2,27% para os 2,88 euros na Bolsa de Lisboa.

Às 13 horas, estavam em curso 175 incêndios, combatidos por 3906 operacionais, com o apoio de 1231 veículos e de três meios aéreos, segundo a página oficial da Autoridade Nacional de Proteção Civil. Para já, o balanço é de 31 mortos.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

1400 empresas já pediram para aderir ao novo lay-off, apoios só a 28 de abril

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (MANUEL DE ALMEIDA/LUSA)

Marcelo. “Não se pode esperar um, dois, três meses por respostas europeias”

coronavírus em Portugal (covid-19) corona vírus

140 mortos e 6408 casos confirmados de covid-19 em Portugal

Fábricas da Sonae Arauco de Oliveira do Hospital e Mangualde encerradas