Tecnologia

Facebook quer contratar mais 500 pessoas para centro de engenharia em Londres

Facebook Londres Feira 3

Londres é já o segundo maior centro de engenharia do Facebook e, até ao final de 2019, chegará aos três mil trabalhadores.

O anúncio foi feito por Nicola Mendelsohn, o vice-presidente da rede social para a área EMEA, durante o evento London Tech Week, que decorre durante estes dias, em Londres. A empresa de Mark Zuckerberg vai criar mais 500 postos de trabalho ligados à área da tecnologia, até ao final deste ano, aponta a Reuters.

Deste meio milhar de contratações, pelo menos 100 destes postos de trabalho estarão ligados à área da inteligência artificial, para trabalhar na remoção de conteúdo que vá contra as normas da rede social, contas falsas, etc, nos vários produtos da empresa.

Leia também | Já começou a maior mudança do Facebook dos últimos anos

Fora dos Estados Unidos, os centros de engenharia situados em Londres são já a maior localização do Facebook, onde só 1800 pessoas estão ligadas à área da engenharia. Além do anúncio de mais contratações, a rede social aponta que o ano seja concluído com “três mil trabalhadores” na capital britânica.

“Estas centenas de novos postos de trabalho demonstram não só o empenho para com o Reino Unido mas também a determinação para detetar e remover de forma proativa conteúdo malicioso”, indicou Nicola Mendelsohn, citado pela Reuters.

Leia também | Facebook. Dar a palavra a quem sabe para mostrar 15 anos de engenharia

Este ano, o Facebook escolheu Londres para a sua feira de engenharia, onde deu oportunidade aos engenheiros de mostrar os trabalhos desenvolvidos no Reino Unido, que vão desde a área de anúncios, segurança, até aos filtros de realidade aumentada desenvolvidos através da plataforma Spark.

No início de maio, foi também anunciado que a empresa de Mark Zuckerberg tinha escolhido Londres para desenvolver os trabalhos ligados à área de pagamentos feitos através do WhatsApp. A aplicação de troca de mensagens, que é uma das mais conhecidas, com milhares de milhões de utilizadores ativos diários, foi comprada pelo Facebook por 16 mil milhões de dólares, em 2014.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

Ministro das Finanças, Mário Centeno, na Católica Porto Business School. Fotografia:  Igor Martins / Global Imagens

Mário Centeno quer mais exigência nos benefícios fiscais

Outros conteúdos GMG
Facebook quer contratar mais 500 pessoas para centro de engenharia em Londres