Ferrovia é a principal prioridade europeia nos transportes na presidência portuguesa

Utilização do comboio permite movimentação de passageiros e de mercadorias com o menor impacto ambiental possível, salientou o ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, perante os eurodeputados.

A ferrovia é a principal prioridade nos transportes da presidência portuguesa do Conselho da União Europeia. O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, apresentou esta terça-feira aos eurodeputados o caderno de encargos para os próximos seis meses. O governante recordou que o transporte ferroviário permite a movimentação de passageiros e de mercadorias com o menor impacto ambiental possível.

"Estamos perante uma oportunidade única para revitalizar o transporte ferroviário. Recuperar os transportes e apostar no caminho de ferro são as nossas duas grandes prioridades", salientou Pedro Nuno Santos numa intervenção realizada em formato remoto.

A escolha do comboio deve-se ao facto de 2021 ter sido definido pela Comissão Europeia como o Ano Europeu do Transporte Ferroviário.

Pedro Nuno Santos lembrou também que o transporte ferroviário "revelou-se fundamental para assegurar as cadeias logísticas" durante o primeiro pico da pandemia do coronavírus, entre março e maio.

O ministro também chamou a atenção para a necessidade de mais investimento em linhas ferroviárias "não só para ligar zonas mais remotas dentro de cada um dos países como é fundamental ligar as periferias da União Europeia".

Desde 17 de março que Portugal está sem comboio noturno para Espanha e França, devido à suspensão dos serviços Lusitânia Comboio Hotel e Sud Expresso, respetivamente.

As ligações ferroviárias entre Portugal e Espanha estão reduzidas a uma circulação por dia do comboio Celta (Porto-Vigo) e da ligação da Linha do Leste (Entroncamento-Badajoz).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de