'Ferryboat' elétrico português deverá operar no final do verão de 2022 em Aveiro

O primeiro 'ferryboat' elétrico construído em Portugal, hoje apresentado nos estaleiros da Navaltagus, no Seixal, no distrito de Setúbal, deverá estar a operar em Aveiro "no final do verão" de 2022, foi hoje revelado.

O novo 'ferry' vai assegurar a travessia entre São Jacinto (Aveiro) e o forte da Barra (Ílhavo), e vai substituir o atual 'ferry' a combustível fóssil que opera entre as duas margens do canal de navegação, na ria de Aveiro.

Segundo o presidente da Câmara de Aveiro, Ribau Esteves, a embarcação elétrica, que representa um investimento superior a sete milhões de euros, deverá estar a operar "no final do verão do próximo ano".

"O novo 'ferryboat' 100% elétrico é a primeira embarcação com esta característica a ser desenvolvida inteiramente em Portugal, por marcas nacionais, e para servir uma região portuguesa", destacou o grupo ETE, a quem foi adjudicada a conceção e construção.

Segundo o consórcio responsável pela construção, a embarcação terá "zero emissões de CO2 e permitirá a redução da emissão de 300 toneladas de CO2 libertadas pelo atual modelo, reduzindo igualmente em cerca de 30% o consumo energético".

"Aos baixos níveis de ruído e ao conforto para os passageiros introduzidos por esta embarcação alia-se ainda a capacidade reforçada para o transporte de viaturas (30%) e de passageiros (90%)", salienta.

O 'ferryboat' representa um investimento da Câmara Municipal de Aveiro de 7.326.490,13 euros, e foi adjudicado ao agrupamento de empresas Navaltagus e Navalrocha (Grupo ETE), com um prazo de 18 meses para a sua conceção e construção.

O projeto é cofinanciado pelo POSEUR, Portugal 2020, e União Europeia com apoio através do Fundo de Coesão (FC) no valor de 2.168.321,53 euros.

"Este projeto pioneiro junta-se a outras iniciativas sustentáveis de mobilidade levadas a cabo pela Câmara de Aveiro, como a eletrificação de 27 barcos moliceiros que, ainda em 2021, estarão a operar nos canais urbanos da ria de Aveiro, permitindo uma redução de 400 toneladas de CO2", destacou o autarca, Ribau Esteves.

No município, encontram-se já em operação três autocarros 100% elétricos, através da concessionária dos transportes urbanos, a Aveirobus, pertencente ao grupo Transdev, reforçando o compromisso da autarquia com os valores ambientais.

"Importa sublinhar que o novo 'ferryboat' elétrico vem, em primeiro lugar, dar a garantia de mobilidade e igualdade de oportunidades para os nossos cidadãos de São Jacinto e, só por isso, este é um investimento que vale cada cêntimo que nele depositamos", concluiu Ribau Esteves.

Luís Figueiredo, administrador do grupo ETE, destacou a importância do projeto para o posicionamento daquele grupo empresarial no mercado da mobilidade elétrica e da sustentabilidade.

"Acreditamos que a experiência e 'know-how' acumulado do grupo na engenharia e construção naval permitirá continuar a inovar neste setor", sendo este um projeto que "vem reforçar a aposta na mobilidade elétrica e na sustentabilidade ambiental, para além da capacidade de resposta a mais um desafio na indústria naval".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de